Eldorado/Brasilis terá barco brasileiro

O empresário Ricardo Aurélio Quinhões Pinto, proprietário do estaleiro Multimar, de Joinville, acredita que a construção de veleiros no Brasil precisa do esporte para crescer. Pela primeira vez, a regata Eldorado/Brasilis terá um barco brasileiro, o trimarã Barracuda, produzido pelo Multimar. "Estamos atravessando uma fase econômica difícil em nosso setor. O esporte, entretanto, pode nos dar um auxílio importante. A indústria automobilística ganha muito com as corridas. Com os veleiros não será diferente", analisa Ricardo Aurélio.O Barracuda foi construído com material importado: espuma de PVC (divinycell) e laminados de epoxi. As ferragens são nacionais. O motor é Volvo e o projeto é do inglês Nick Daley. Pablo Furlan, segundo proprietário do Barracuda, comandará o veleiro na regata.A terceira edição da Eldorado/Brasilis, a partir de 19 de janeiro, entre Vitória e Ilha de Trindade, largará com cerca de 20 veleiros. O valor médio de cada um é de R$ 450 mil. Isso significa que a prova pode ser avaliada em R$ 9 milhões. Sem contar o custo com as reformas e preparativos para a competição. "A regata tem um impacto econômico significativo durante as duas semanas da competição", explica Fernando Luigi, da W60, promotora do evento.Esse impacto deverá crescer a partir de 2003 quando a organização deverá incluir multicascos de outros países. Os multicascos - catamarãs e trimarãs - têm uma classificação separada dos monocascos na competição.O projeto de marketing da W60 para a terceira edição da mais longa prova de vela oceânica do Brasil prevê o envolvimento dos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, que apóiam oficialmente a competição, e ainda a veiculação da regata em outros veículos da mídia como os canais ESPN Brasil, National Geographic Channel, SporTV e revistas Náutica e OffShore. A Rádio Eldorado (www.radioeldoradofm.com.br) tem um link direto para inscrições com todas as informações sobre a prova.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.