Elenco reconhece tarde apática e promete reação contra o Sport

O que todo mundo imaginava acontecer diante do Fluminense, na quarta-feira, foi visto ontem: um Corinthians apático, ainda pensando no título da Copa do Brasil. Talvez fossem os ares de Porto Alegre, local da conquista de 11 dias atrás e palco do duelo de ontem. O desinteresse foi reconhecido por todos os jogadores no fim do jogo."Nós entramos num marasmo enorme. Não jogamos, não marcamos", afirmou o meia Douglas, quase despercebido dentro de campo. "Conseguimos ser melhores com um a menos no segundo tempo do que completos no primeiro."De acordo com o camisa 10, o combinado no vestiário era não deixar o Grêmio crescer no confronto. "Combinamos tudo o que não podíamos fazer, e no campo fizemos ao contrário", disse. "Falamos muito, entramos achando que íamos ganhar e não apresentamos nada."O goleiro Felipe também reconheceu a tarde sem inspiração do grupo. "Entramos relaxados demais e fomos muito mal no primeiro tempo", afirmou. "Temos de entrar nos doando ao máximo sempre. Espero que o resultado sirva de lição para buscarmos a recuperação na quinta, contra o Sport."O duelo será o primeiro com os pernambucanos após a perda do título da Copa do Brasil de 2008 e um sentimento de vingança está sendo armado em torno do confronto por causa da recepção nada respeitosa que o time viveu no Recife."Temos de esquecer essas coisas e só pensar em buscar a recuperação no próximo confronto", enfatizou o lateral-direito Alessandro, que preferiu dar os méritos aos gaúchos a criticar a postura do time."Sabíamos da força do Grêmio aqui (no Olímpico). Tentamos igualar o jogo na técnica, mas faltou igualar na força", afirmou, cabisbaixo. "Claro que jogamos muito mal, mas temos de saber reconhecer a boa apresentação deles."Diante dos pernambucanos, o técnico Mano Menezes novamente não terá força máxima. Os zagueiros William e Chicão retornam, mas Alessandro cumpre suspensão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.