Eliminação, o presente grego aos russos

A Grécia calou Portugal em 2004 ao surpreender os donos da casa na decisão e ficar com o título. Ontem, a seleção de futebol feio, defensivo, conseguiu protagonizar mais uma zebra para o mundo do futebol ao eliminar a favorita Rússia. Com vitória por 1 a 0, aliado ao triunfo da República Checa sobre a anfitriã Polônia pelo mesmo placar (gol de Jiracek), gregos e checos estão nas quartas de final e os russos terão de ver os mata-matas de casa.

VARSÓVIA, POLÔNIA, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h05

O 'presente grego' veio dos pés do capitão Karagounis, que recebeu lançamento aos 46 da primeira etapa, ganhou na velocidade e bateu rasteiro, cruzado.

O mais curioso é que a Grécia chegou à última rodada na lanterna, diante da líder e favorita Rússia, sensação da primeira rodada com 4 a 1 na República Checa e que precisava apenas do empate.

Mesmo perdendo, os russos ainda ficariam em primeiro se o outro jogo na chave terminasse em igualdade, o que não ocorreu. A eliminação russa, com números idênticos aos da Grécia (quatro pontos) e até com saldo de gols melhor (2 a 0) saiu no primeiro critério de desempate: o confronto direto.

Os gregos, que costumam surpreender os gigantes do continente, agora ficam observando os jogos de hoje para ver quem será seu próximo adversário.

Eles pegam o campeão da chave B. No confronto, Karagounis, o herói da classificação, cumpre suspensão pelo segundo amarelo que levou ao sofrer um pênalti não marcado pelo árbitro, que o puniu por simulação.

Os checos, primeiros chave com seis pontos, esperam pelo segundo do Grupo B. E o técnico Smuda, da Polônia, deixou o cargo após a eliminação da equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.