Josep Lago|AFP
Josep Lago|AFP

Em 18º no grid, Massa reclama de tráfego e dá indireta para equipe

Brasileiro não conseguiu fazer uma boa volta em Barcelona

Estadão Conteúdo

14 de maio de 2016 | 14h55

O brasileiro Felipe Massa lamentou a 18.ª colocação no grid de largada para o GP da Espanha de Fórmula 1. O piloto da Williams justificou o mau desempenho com o tráfego enfrentado quando foi para a pista e também mandou uma indireta para os engenheiros da equipe.

"Estou muito desapontado com o que aconteceu. Peguei trânsito na minha primeira volta e não pude fazer uma volta limpa. Depois, ficamos sem tempo para sair e voltar com um novo jogo de pneus. Trânsito ou problemas na volta podem acontecer, mas nós precisamos garantir que possamos reagir em conformidade. Amanhã (domingo) será uma longa e dura corrida, então ainda temos que batalhar para conquistar pontos", comentou.

Massa não foi bem na primeira volta que deu. Preocupada em poupar pneus, a escuderia o mandou de volta para os boxes e esperou os minutos finais do Q1. O brasileiro voltou à pista faltando pouco mais de um minuto para o término da primeira parte do treino e não teve oportunidade de dar uma boa volta e avançar para o Q2.

Felipe Nasr também não foi bem e largará apenas na 20.ª colocação. O piloto da Sauber, no entanto, já esperava por um resultado ruim, pois sabia das limitações de seu carro para essa prova. "Não foi um treino classificatório fácil para nós".

Por isso, no final das contas, o brasileiro elogiou o trabalho de superação da equipe. "Consegui fazer uma boa primeira volta com pneus macios. Durante o segundo giro, lutava para evitar que o carro saísse de traseira. Então, não pude melhorar meu tempo. Penso que os resultados foram os melhores que a gente conseguiria hoje, pois as outras equipes estão muito melhores que a gente. Muita coisa pode acontecer amanhã, especialmente quando os pneus começarem a desgastar", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.