Em 2011, a chegada será no Ibirapuera

Percurso terá mudanças no próximo ano porque a Avenida Paulista não comporta mais o grande número de inscritos

André Avelar, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2010 | 00h00

O idealizador da corrida de São Silvestre, Cásper Libero, pode até se remexer no túmulo, mas, a partir de 2011, a chegada da São Silvestre não será mais na Avenida Paulista. A organização entende que o local não comporta os mais de 22 mil inscritos previstos para o ano que vem e mudará a linha final para o Ibirapuera.

Enquanto a oficialização não acontece, a organização tenta dar um jeitinho na dispersão dos atletas - ainda que para isso diminua o mérito por ter terminado a prova. Neste ano, os corredores receberão a medalha de participação já na retirada do kit. Ou seja, terão o objeto de desejo de todo esportista antes de ter completado os 15 quilômetros. A justificativa está na falta de espaço para a retirada das medalhas.

"A nossa proposta é levar a chegada para o Ibirapuera. Já está em andamento toda uma análise da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) para viabilizar essa mudança no ano que vem", explicou Thadeus Kassabian, um dos organizadores. I ideia é colocar a fita de chegada após os atletas subirem e descerem a Brigadeiro Luiz Antônio.

Em 2009, a dispersão ficou em um estacionamento de 10 mil m² entre a Rua Pamplona e a Alameda Campinas. Hoje, um prédio comercial está sendo construído no local e outra área, de 2 mil m², receberá um espremido guarda-volumes. No momento de pico, cruzam a linha de chegada cerca 400 atletas por minuto. "Você sabe o que é dormir com a responsabilidade de cuidar de 22 mil pessoas? Não posso colocar todo esse público em fila para receber uma medalha após a prova", afirmou Kassabian.

A esse batalhão de atletas soma-se o público que irá acompanhar o show do réveillon. A expectativa da PM é que 2 milhões de pessoas participem da festa. A PM promete reforçar a segurança com 2,4 mil homens ao longo do percurso e outros 1,8 mil para o show, com um acúmulo de efetivo na "troca de público", às 18h30. "Não é possível dizer que um evento atrapalha o outro, mas a PM está preparada", disse o coronel Cerqueira, responsável pelo policiamento da região central.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.