Em 70 anos, Brasil soma 13 recordes mundiais

Feito de Cielo é ainda mais valorizado pelas poucas conquistas do País na natação. A primeira façanha foi obtida por Maria Lenk, em 1939, no Rio

Valéria Zukeran, ROMA, O Estadao de S.Paulo

31 de julho de 2009 | 00h00

A história de recordes mundiais estabelecidos pela natação brasileira começou há 70 anos com Maria Lenk. A partir de então o País ostentou a marca por outras 12 vezes, em piscinas longas e curtas, até chegar com César Cielo, no Foro Itálico, em Roma.Maria Lenk, que havia feito a melhor marca nos 400 m peito, foi também a mais rápida nos 200 m peito um mês depois em 1939. Ambas as marcas foram obtidas em piscinas do Rio. O segundo recordista, o primeiro homem, foi Manuel dos Santos, em 1961, nos 100 m livre. Sete anos mais tarde, Silvio Fiolo foi o primeiro nos 100 m peito. Mas o primeiro a conquistar a melhor marca fora do Brasil foi Ricardo Prado, durante o Mundial de Guaiaquil, Equador, em 1982, na prova dos 400 m medley. Além do recorde, Pradinho também se sagrou campeão mundial, feito só igualado 27 anos depois por César Cielo.PISCINA CURTAO Brasil só voltou a quebrar recordes mundiais mais de uma década depois. E em piscinas curtas. Foram seis tempos mais rápidos. Em 1993, Gustavo Borges bateu o recorde mundial dos 100 m livre, com o tempo de 47s94. O revezamento 4 x 100 formado pelo próprio Gustavo, juntamente com Fernando Scherer, João Carlos Júnior e Teófilo Ferreira, se transformou no mais rápido de todos os tempos ao completar a prova com 3min13s97. O Brasil voltou a ser o mais rápido nesta prova outras duas vezes. Ainda em 1993, o tempo foi diminuído para 3min12s11. Mais cinco anos e a prova foi completada pelos brasileiros em 3min10s45.Outros dois recordes mundiais em piscina curta vieram em provas individuais. Kaio Márcio quebrou a marca dos 50 m borboleta em 2005, com 22s60. Mais dois anos, Thiago Pereira, um dos maiores nomes da delegação brasileira no Pan do Rio, bateu a marca dos 200 m medley, com 1min53s14.A natação brasileira só voltaria a somar um recorde mundial em piscina longa este ano com Felipe França, durante o Troféu Maria Lenk, no Rio, quando completou os 50 m peito em 26s89. O feito do nadador brasileiro foi duas vezes superado em Roma e Felipe terminou o Mundial na segunda colocação, com a medalha de prata. RECORDES BRASILEIROS Maria Lenk - 1939 - 400 m peito (6min15s80) e 200 m peito (2min56s90) Manoel dos Santos - 1961 - 100 m livre (53s6) Sílvio Fiolo - 1968 - 100 m peito (1min06s4) Ricardo Prado - 1982 - 400 m medley (4min 19seg 78) Gustavo Borges - 1993 - 100 m livre (47s94), em piscina curta Gustavo Borges, Fernando Scherer, João Carlos Júnior e Teófilo Ferreira - 1993 - revezamento 4x100 m livre (3min13s97) e novamente em dezembro (3min12s11) Fernando Scherer, Carlos Jayme, Alexandre Massura e Gustavo Borges - 1998 - (3min10s45) Kaio Márcio - 2005 - 50 m borboleta (22s60) Thiago Pereira - 2007 - 200 m medley (1min53s14) Felipe França - 2009 - 50 m peito (26s89) César Cielo - 2009 - 100 m livre (46s91)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.