Em alerta, São Paulo quer vitória em Curitiba

Em luta contra o desânimo, equipe precisa vencer para não aumentar o drama no Morumbi

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2013 | 02h07

Não era o cenário que o São Paulo sonhava, mas a derrota para o Criciúma no Morumbi recolocou o Tricolor em alerta e agora o time precisa bater o Coritiba hoje no Couto Pereira para não voltar a viver o drama que o levou às últimas posições do Campeonato Brasileiro. A partida contra os paranaenses encerra o desastroso primeiro turno são-paulino e põe fim também à dura série de quatro partidas disputadas em oito dias.

A primeira ordem é não desanimar. O time vinha em bom momento até o tropeço contra o Criciúma e apresentava evolução tática e de autoestima do grupo, por isso mesmo Paulo Autuori trabalhou muito o aspecto psicológico para evitar que o baque derrube o astral do grupo. "Não vou deixar ninguém cair, isso não vai acontecer aqui", afirmou o treinador. O revés em casa, no entanto, abalou visivelmente os jogadores, que deixaram o gramado visivelmente cabisbaixos.

Para Autuori, mais do que o cansaço da maratona de jogos, o time precisa reencontrar a força na marcação e tranquilidade nas trocas de passe. O São Paulo da última quinta reviveu seus dias de afobação e errou uma série de jogadas por falta de calma e encontrou uma série de dificuldades para criar boas oportunidades mesmo atuando com três atacantes. Com Jadson desaparecido, coube a Negueba e Aloísio tentarem furar a defesa adversária e a partida se transformou num festival de passes errados.

Até por isso o confronto deve marcar o retorno de Ganso entre os titulares. O camisa 8 começou o último jogo no banco por sentir o desgaste da série de compromissos seguidos e conseguiu ao menos articular o time enquanto esteve em campo. A maior probabilidade é que Jadson, mesmo em fase ruim, seja mantido entre os titulares para cadenciar o jogo e dar mais criatividade à equipe, um dos principais problemas apresentados no último jogo. Se confirmar a dupla, Negueba vai para o banco. Quem também pode voltar é Antonio Carlos, que cumpriu suspensão na quinta-feira. Paulo Miranda deve ser mantido na lateral direita já que Douglas segue fora por causa de contratura na coxa esquerda.

A julgar pelo retrospecto no primeiro turno, o cenário não chega a ser desanimador. Se é um péssimo mandante (venceu apenas três dos nove jogos no Morumbi e soma seis derrotas), a equipe foi vencida apenas duas vezes longe de casa. "O São Paulo não joga fora de casa, temos torcedores em todos os cantos. Nossos adversários costumam vir fechados ao Morumbi e ficam esperando o contra-ataque", explica Aloísio. A expectativa do time é ter mais espaço para jogar e, dessa forma, criar as oportunidades de gol com mais tranquilidade.

Queda livre. Sem vencer há seis partidas, o Coritiba tenta reencontrar o futebol das primeiras rodadas. O técnico Marquinhos Santos, que completou um ano à frente do clube na última sexta, continua prestigiado pela diretoria apesar dos últimos insucessos. O principal problema do time tem sido o ataque, que marcou apenas três vezes durante a fase sem vitórias. Para piorar, Deivid continua afastado por causa de uma lesão no joelho. Gil e Maykon, suspensos, também são baixas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.