Em alta, Santos luta por mais 3 pontos, contra o lanterna

Time de Muricy Ramalho está há sete jogos sem perder e, em Uberlândia, terá pela frente o frágil e ameaçado América

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2011 | 03h04

O momento não poderia ser melhor. Depois de desbancar o Corinthians da liderança no clássico de domingo no Pacaembu, o Santos conta com a soma de mais três pontos contra o lanterninha América-MG, hoje às 20h30, no Estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia, para continuar subindo na classificação.

Aos poucos vai se confirmando a profecia do técnico Muricy Ramalho de que o time de Neymar e companhia, depois de passar o primeiro turno rondando a zona de rebaixamento, será a sensação do returno e vai estar entre os candidatos ao título nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro. O Santos é o 11.º colocado, com 32 pontos; o América, o 20.º, com 19.

Depois do que Neymar fez no segundo tempo do clássico, o Santos tem motivos de sobra para acreditar que dificilmente aparecerá adversário com capacidade para travar a sua arrancada rumo ao topo da classificação. Em nova função, atuando um pouco mais recuado, o xodó santista está há sete jogos sem marcar, mas tem compensado a ausência de Ganso e criado para que o ataque formado por Alan Kardec e Borges funcione.

Nos treinos de segunda-feira à tarde e de ontem cedo, Arouca se movimentou bem e não voltou a sentir a contusão. O volante está recuperado da lesão na coxa esquerda sofrida diante do Fluminense e vai entrar no lugar de Henrique que foi expulso no clássico de domingo.

Ex-clube. Danilo reconhece a importância que o América-MG teve na sua curta e vitoriosa carreira profissional, mas ao entrar em campo hoje não vai pensar no drama vivido pelo seu ex-clube, lanterna do Nacional.

"Tenho carinho e respeito pelo América, mas preciso pensar no Santos", disse o campeão paulista e da Libertadores com o Santos e Sul-Americano e Mundial com a seleção brasileira sub-20. "Futebol sem dinheiro é difícil de se fazer", acrescentou o lateral e volante.

Antes de ser vendido ao Porto, de Portugal, Danilo pretendia pedir para jogar como segundo volante, posição em que rende mais, mas agora deixa a decisão nas mãos de Muricy Ramalho no Santos e de Mano Menezes, na seleção. "Eu me adapto muito bem no meio e quando é preciso voltar a ser lateral não sinto dificuldade. Para ser sincero, no momento não tenho preferência e só quero ajudar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.