Em busca de recorde, Hoyama já é bronze

Mesa-tenista tenta nona medalha de ouro em Pans e ajuda o Brasil a ir à semifinal por equipes

Vinícius Saponara, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2024 | 00h00

Com 12 medalhas em Pan-Americanos - oito de ouro, uma de prata e três de bronze, desde Havana, em 1991 - e atrás da nona dourada e do recorde brasileiro, o mesa-tenista Hugo Hoyama garantiu mais uma para seu currículo, o bronze conquistado ontem, contra a República Dominicana. E destacou a união do grupo.A difícil vitória sobre os dominicanos por 3 a 1 classificou o Brasil para as semifinais do torneio masculino por equipes, hoje, diante do Canadá, a partir das 11h30. ''''O nosso grupo está muito unido. Não joguei tão bem, mas todos se ajudaram'''', disse Hoyama. A final será às 16 horas, no Complexo Riocentro.No seu primeiro jogo, Hoyama encarou o chinês naturalizado dominicano Luis Ju Lin, atual número 52 do ranking mundial, e foi batido com facilidade. ''''Estava nervoso. Ele teve mais calma e foi melhor mesmo'''', explicou Hugo.Com 2 a 1 a favor no placar - após vitórias de Thiago Monteiro na simples e Thiago e Gustavo Tsuboi nas duplas -, Hoyama teve o desafio de fechar o confronto contra Emil Santos Mena. ''''De novo, comecei nervoso, perdi o primeiro game, mas me recuperei'''', afirmou.Contra os canadenses, que bateram o Chile, a disputa promete ser dura, de acordo com todos os jogadores brasileiros. ''''Eles estão no mesmo nível que a gente'''', disse Thiago, melhor mesa-tenista do Brasil ranqueado no mundo - número 89.HISTÓRICONo primeiro jogo da série, Thiago Monteiro passou com facilidade por Juan Vila por 3 games a 0. Na partida seguinte, Hoyama foi derrotado por Luis Ju Lin por 3 a 0.Nas duplas, Thiago e Gustavo Tsuboi marcaram o segundo ponto brasileiro ao derrotar Juan Vila e Emil Santos Mena por 3 a 1. Hugo Hoyama mostrou poder de recuperação e bateu Emil Santos Mena por 3 a 1, em disputa equilibrada - o brasileiro só conseguiu ganhar depois de oito match points.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.