Em busca do primeiro lugar, desde o início

Corinthians promete atacar o Independiente para conseguir a vitória e ficar com a melhor campanha da 1ª fase

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Susto antes da virada sobre o Racing, na estreia: 2 a 1. Após abrir 2 a 0 diante do Cerro Porteño, um gol sofrido e sufoco no fim para novo 2 a 1. Os dois jogos do Corinthians no Pacaembu, pela Libertadores deste ano, foram com grande dose de sofrimento ao torcedor. Hoje, às 21h50, no palco predileto do corintiano, diante do Independiente de Medellín, a equipe espera por, enfim, uma festa na arquibancada, com vitória mais tranquila e classificação com o melhor desempenho geral da primeira fase.

Os colombianos, já eliminados matematicamente depois dos resultados desfavoráveis de ontem, chegaram ao Brasil com dois desfalques - o atacante Arias, machucado, e o volante Ochoa, por decisão técnica-, e com um grupo de apenas 16 jogadores, visivelmente mais preocupados com o quadrangular final do Campeonato Colombiano, no qual é o segundo colocado na defesa do título.

O último encontro do Corinthians com a torcida, na amarga eliminação ainda na primeira fase do Campeonato Paulista, o time goleou o Rio Claro por 5 a 1. A torcida prepara enorme festa para hoje à noite e prevê a primeira goleada do time na Libertadores. O rival, contudo, foi o único a arrancar pontos do Alvinegro na competição.

"É um time que joga com formação diferente dos demais (do grupo), sem linha de quatro atrás e com mais gente no meio", alerta o técnico Mano Menezes, não deixando o grupo entrar na euforia. "Não podemos dar controle de jogo para eles (Independiente)", pede o comandante.

A torcida, contudo, está radiante. Ontem, em bela tarde de feriado, o Parque São Jorge estava repleto de famílias que queriam usufruir das quadras, piscinas e toda a infraestrutura do clube. De quebra, aproveitaram para dar apoio ao time. Cerca de 400 pessoas, entre sócios - ficaram na numerada, em grande número - e torcedores organizados - levaram apoio ao time no último treino antes da partida. Com batuque, bandeiras, faixas e até rojões, os integrantes da Gaviões da Fiel e Camisa 12 cantaram músicas de incentivo.

Sem Ronaldo, poupado para aprimorar o físico, Dentinho, que completa 150 jogos com a camisa do clube, terá a companhia de Iarley no ataque.

Sem escolha. Num Pacaembu para mais de 30 mil torcedores, a ordem de Mano Menezes é buscar a vitória. Nada de escolher adversário. "Vamos buscar o primeiro lugar para ter vantagem até a decisão. Não vamos escolher adversários, quem sonha em ser campeão, não pode fugir dos times brasileiros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.