Em Campinas, Renato curte a melhor fase da carreira

O flerte começou quando Renato ainda jogava na Ferroviária, de Araraquara, no início do ano passado. O meia acabou jogando no Juventude durante o segundo semestre. Com a má campanha da equipe gaúcha, rebaixada no Campeonato Brasileiro, surgiu a chance de, finalmente, ir para a Ponte Preta. Com o início do namoro, Renato faz um grande Campeonato Paulista e passa pela melhor fase da carreira. Na equipe de Campinas, Renato arma os ataques, é responsável pelas jogadas de bola parada e ainda faz gols - cinco até agora, três deles em cobranças de falta. "Nunca fui muito de fazer gols, mas tenho sido abençoado", diz o dono do time.Renato considera ter subido do inferno ao céu com sua transferência para Campinas. No Juventude, o grupo tinha divisões internas e o clube costumava atrasar o pagamento dos salários dos jogadores. Na Ponte, a situação é completamente diferente . "Tudo tem sido maravilhoso aqui ", conta o meia, pai da pequena Vitória, de 3 meses.A missão mais dura de Renato é levar a Ponte à conquista de seu primeiro título. E ele garante que está pronto. "Vim aqui para vencer", afirma.As boas atuações do jogador já chamaram a atenção de outras equipes. "Sabemos que a Ponte é uma vitrine. Recebo o interesse dos outros clubes com carinho, mas estou sempre focado no trabalho aqui." O jogador tem contrato com a Ponte até o final do ano. Porém, o namoro pode ter o final antecipado. "Antes do Paulista eu não vou sair", garante. Metade dos seus direitos econômicos são da Ferroviária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.