Em clima de treino, Santos escala só dois titulares

Time pode perder por seis gols de diferença diante do Guarani, em Campinas. Felipe e André estão confirmados

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2010 | 00h00

Se no Campeonato Paulista o Santos está perto de colocar as mãos na taça, na Copa do Brasil a classificação para as quartas-de-final está mais fácil ainda. Depois da goleada por 8 a 1, com show de Neymar, que marcou cinco vezes, o time só deixa de passar às quartas-de-final se perder por mais de 6 a 0, no jogo de volta contra o Guarani, hoje, às 19h30, em Campinas.

Com situação tão favorável, o técnico Dorival Júnior resolveu deixar as estrelas trabalhando em dois períodos no CT Rei Pelé, preparando-se para o primeiro confronto da decisão estadual contra o Santo André, e escalou apenas dois titulares: Felipe e André.

O goleiro vai jogar porque Fábio Costa ainda não está pronto para voltar. Mas, para André o jogo tem grande importância. O treinador disse ontem que a escalação do camisa 9 contra o Santo André, domingo, às 16 horas, no Pacaembu, pelo primeiro confronto das finais, vai depender do seu desempenho hoje à noite. O matador santista - tem 17 gols em 22 jogos - sofreu luxação no punho direito, com comprometimento parcial dos ligamentos, na primeira partida contra o São Paulo pelas semifinais do Estadual, demonstrou receio no jogo de ida contra o Guarani e foi poupado na segunda partida diante do Tricolor, na Vila Belmiro.

"Seguramos André no jogo passado (São Paulo) pela lesão, levando em conta que diante do Guarani ele procurou se proteger demais. E, se amanhã (hoje) André terminar bem, fica em aberto a sua escalação para enfrentar o Santo André no domingo", adiantou Dorival Júnior.

Outra novidade será a presença do experiente Giovanni no banco de reservas, com a possibilidade de entrar no decorrer da partida. Ele pegou dengue pouco antes do amistoso do dia 20 no mês passado, nos Estados Unidos, foi mal contra o Red Bull e só agora se sente em condições de atuar. "O abatimento de Giovanni foi grande e agora, como o segundo jogo é mais tranquilo, ele vai para o banco", disse o técnico.

Apesar de o jogo de hoje ser apenas para cumprir tabela, Dorival Júnior disse aos jogadores, após o recreativo de ontem, no CT Rei Pelé, que todos estarão sendo avaliados. "Essa é o tipo de partida que garante emprego e desemprego", avisou.

No Guarani, o desânimo é tanto que o técnico Vágner Mancini deixou para iniciar o trabalho amanhã, um dia após o jogo que deve marcar a despedida do time da Copa do Brasil.

Patrocínio. O Santos assinou contrato de patrocínio com a Herbalife do Brasil, ontem. A empresa vai pagar R$ 1 milhão até o fim do ano, mas não vai expor sua logomarca no uniforme, apenas no banner que fica atrás dos atletas nas coletivas de imprensa e no telão da Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.