Javier Lizón/EFE
Javier Lizón/EFE

Em clima de 'velório' no seu aniversário, Real abre treinos para jogo de domingo

Após eliminação vexatória na Liga dos Campeões, equipe praticamente não tem mais nenhuma chance de título na temporada

Redação, Estadão Conteúdo

06 de março de 2019 | 12h38

No mesmo dia em que completou 117 anos de sua fundação, o Real Madrid iniciou na manhã desta quarta-feira, em clima de "velório", a sua preparação para enfrentar o Valladolid, no domingo, fora de casa, pela 27ª rodada do Campeonato Espanhol. Foi o primeiro trabalho da equipe depois da humilhante goleada de 4 a 1 sofrida diante do Ajax, na terça-feira, no estádio Santiago Bernabéu, onde amargou a sua eliminação nas oitavas de final da Liga dos Campeões.

O trabalho foi realizado sob chuva e serviu para evidenciar também o abatimento dos jogadores em campo, entre os quais o zagueiro Sergio Ramos, que ficou fora da partida de volta contra o time holandês por estar suspenso. Ele treinou em campo com os atletas que não atuaram na terça ou estiveram na partida por um período curto de tempo.

Os titulares contra o Ajax, exceto os lesionados Vinicius Junior e Lucas Vázquez, que se machucaram no primeiro tempo do duelo de terça-feira, realizaram uma atividade no interior das instalações do CT do Real Madrid. O treinamento ocorreu pouco antes de o departamento médico do clube confirmar que o atacante brasileiro rompeu os ligamentos da "articulação tibiofibular" do seu tornozelo direito na partida contra o Ajax.

Assim, Vinicius Junior se tornou desfalque certo para o jogo contra o Valladolid e, embora o clube não tenha determinado um período previsto de afastamento, o ex-flamenguista deve ficar por cerca de dois meses sem atuar, tempo médio de recuperação para este tipo de lesão de ligamento que ele sofreu.

Gareth Bale, que também se lesionou após entrar em campo no decorrer do duelo contra o Ajax, poderá ser confirmado como outra baixa do Real para o final de semana. Ainda não se sabe, inclusive, se o técnico Santiago Solari estará à frente do cargo para este compromisso, pois a chance de ele ser demitido se tornou enorme após a eliminação sofrida na terça-feira e a sequência de derrotas para o Barcelona em dois clássicos na semana passada.

Atuando em seu estádio, o Real primeiro caiu por 3 a 0 diante do arquirrival na semifinal da Copa do Rei e deu adeus à competição. Apenas três dias depois, no sábado, foi superado por 1 a 0 pelo time catalão, novamente em casa, e viu a equipe de Messi abrir 12 pontos de vantagem na liderança do Campeonato Espanhol. O clube madrilenho ocupa a terceira posição da competição, cinco pontos atrás do Atlético de Madrid, atual vice-líder, e assim hoje está fora da luta direta pelo título nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.