Em crise, CBV pede e Grand Slam de vôlei de praia no Brasil é adiado

Federação internacional mantém data sem definição para a etapa nacional do circuito

Agência Estado

19 de março de 2014 | 17h08

SÃO PAULO - A crise da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira, quando a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou o adiamento do Grand Slam de Fortaleza, única etapa brasileira que consta no calendário do Circuito Mundial nesta temporada.

Realizado no ano passado em São Paulo, no Parque Villa-Lobos, com baixa presença de público, o Grand Slam foi transferido para Fortaleza nesta temporada e seria realizado entre 13 e 18 de maio. Em meio a uma crise sem precedentes, que culminou com a renúncia de Ary Graça - ainda presidente da FIVB -, a CBV pediu que o torneio fosse adiado para uma data ainda não definida.

Assim, o primeiro Grand Slam do ano, em Xangai (29 de abril a 4 de maio) será seguido do Grand Slam de Moscou (11 a 15 de junho). A temporada, porém, começa com um Open (que distribui menos pontos no ranking) em Fuzhou, também na China, a partir de 22 de abril. Depois o Circuito segue para um Open em Puerto Vallarta, no México, entre 6 e 10 de maio.

REI DA PRAIA

Também nesta quarta-feira a organização do Rei e Rainha da Praia divulgou os 16 atletas que disputarão o título. Atual tricampeão, Alison terá como rivais Emanuel, Pedro Solberg, Bruno Schmidt, Evandro, Vitor Felipe, Ricardo e Márcio. Destes, só Márcio não faz parte da seleção brasileira convocada para o Circuito Mundial - Álvaro Filho está no seu lugar.

Já entre as mulheres a disputa pelo posto de Rainha da Praia terá as mesmas oito atletas da seleção: Juliana, Maria Elisa, Maria Clara, Carol, Bárbara Seixas, Ágatha, Talita e Taiana.

Tudo o que sabemos sobre:
vôlei de praiaCBVvôlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.