Em jogo emocionante, Corinthians vence clássico de sete gols no fim

Em jogo emocionante, Corinthians vence clássico de sete gols no fim

Partida contra São Paulo teve falhas incríveis dos goleiros e foi decidida com um gol contra: 4 a 3

Bruno Deiro, Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

No eletrizante clássico com sete gols, duas expulsões, bonitos lances e muitas falhas, o Corinthians manteve vivo um tabu. Sem perder para o São Paulo há três anos, venceu por 4 a 3 no Pacaembu, mas ainda depende de tropeço de um adversário para chegar às semifinais do Campeonato Paulista. Com 30 pontos, um a mais do que o rival, o time do Morumbi precisa ganhar seus dois últimos jogos para avançar à próxima etapa.

Após perder para o Paulista por 1 a 0, na quarta-feira, o Corinthians causou a ira de torcedores. Alguns deles se irritaram com a forma física de Ronaldo e protestaram após a partida. Ontem, a Fiel foi ao estádio disposta a apoiá-lo. Com o mau desempenho, o Fenômeno deixou o campo sob aplausos tímidos. Quem não quis incentivar, pelo menos não vaiou. Mas quando o camisa 9 saiu, já no fim, Iarley fez aquilo que o substituto não conseguira. Aos 46 minutos, chutou cruzado e contou com desvio, de cabeça, do zagueiro Alex Silva para desempatar.

O melhor lance de Ronaldo ocorreu aos 18 do primeiro tempo. Em boa jogada do Corinthians, ele tocou para Elias fazer 1 a 0. Antes, os donos da casa quase abriram o placar em três lances inacreditáveis, na sequência: Paulo André e Dentinho acertaram a trave e, em seguida, William chutou para defesa de Rogério Ceni.

Melhor em campo, o Alvinegro dominava as ações. O São Paulo tentava ir ao ataque, mas dependia muito da iniciativa de Hernanes. Os outros, quando pegavam na bola, tentavam decidir sozinhos, em vão. Já Danilo mostrou ontem no Pacaembu o futebol que estava devendo desde que foi contratado. Armou, conduziu a equipe e acertou um belo chute aos 35 para ampliar o marcador. Sumido em campo, Washington se irritou numa dividida com Dentinho. Empurrou, levou o troco e os dois foram expulsos. Aos 43, Dagoberto cruzou da esquerda para Jean diminuir e dar moral ao São Paulo.

Com Fernandinho no lugar de Léo Lima, os visitantes apostaram na ofensividade em busca da virada. Mas Rogério Ceni tratou de esfriar os ânimos tricolores ao falhar e não segurar falta cobrada por Roberto Carlos, aos 7 minutos. Mais tarde, se redimiu em dois chutes do próprio lateral e num arremate de Danilo, dentro da área.

O que parecia estar fácil quase se complicou. Mesmo com dois gols de vantagem, o Corinthians permitiu o empate. E aí foi a vez de Rafael ser o vilão. O goleiro alvinegro soltou chute de Hernanes e Rodrigo Souto balançou as redes no rebote, aos 29. Oito minutos depois, a bola foi alçada na área e o camisa 12 saiu mal: Rodrigo Souto marcou mais um.

O empate seria um bom resultado para o São Paulo e péssimo para o Corinthians, que praticamente perderia as chances de chegar à semifinal. Mano Menezes, então, tirou Ronaldo para a entrada de Iarley. Os dois times seguiram no ataque, buscando o gol da vitória. Mas foi o atacante do Corinthians quem teve a estrela final.

CHAVES DO JOGO

Estrela

O atacante Iarley entrou no fim da partida e arriscou um chute forte e cruzado, aos 46 minutos. Contou com a sorte e com o azar de Alex Silva, que desviou contra o próprio gol

Conjunto

Enquanto o São Paulo apostou na individualidade, com atletas buscando as jogadas sozinhos, o Corinthians tocou bem a bola e trabalhou em conjunto para chegar à vitória

Erros

Corinthians e São Paulo abusaram das falhas. Rogério Ceni errou feio na falta cobrada por Roberto Carlos e Rafael Santos não mostrou segurança nos dois gols de Rodrigo Souto

CORINTHIANS 4

SÃO PAULO3

CAMPEONATO

PAULISTA

Gol: Elias aos 18, Danilo aos 35 e Jean aos 43 minutos do 1º tempo. Roberto Carlos aos 7, Rodrigo Souto aos 29 e aos 37 e Alex Silva (contra) aos 46 do 2º.

CORINTHIANS (4-4-2): Rafael Santos; Moacir, Paulo André, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias (Tcheco), Jucilei e Danilo (Jorge Henrique); Dentinho e Ronaldo (Iarley). Técnico: Mano Menezes.

SÃO PAULO (4-4-2): Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Junior Cesar; Rodrigo Souto, Léo Lima (Fernandinho), Cléber Santana e Hernanes (Cicinho); Dagoberto (Marlos) e Washington.

Técnico: Ricardo Gomes.

Juiz: Wilson Luiz Seneme.

Cartão amarelo: Léo Lima, Ralf, Rodrigo Souto, Iarley e Paulo André.

Vermelho: Dentinho e Washington.

Renda: R$ 738.733,00 (24.557 pagantes). Local: Pacaembu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.