Em jogo, o futuro do esporte em São Paulo

Pista do Ibirapuera precisa, com urgência, de reparos. Governo diz que fará reformas em 2009

O Estadao de S.Paulo

25 de outubro de 2008 | 00h00

O destino do Estádio Ícaro de Castro Mello, no Complexo do Ibirapuera, preocupa dirigentes e atletas. Com a pista desgastada pelos seis anos de uso ininterrupto desde a última reforma, somente uma nova intervenção garantirá a qualidade do principal centro de atletismo do País. Desta vez, a mudança terá de partir do governo do Estado, que administra o local, já que a BM&F Bovespa irá investir em São Caetano do Sul. A Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Turismo garante: R$ 13 milhões do orçamento da pasta destinado ao próximo ano (quase 10% do total de R$ 160 milhões) será investido em todo Complexo do Ibirapuera.Para os atletas, a reforma da piso do Estádio Ícaro de Castro Mello é questão prioritária. "A pista precisa urgentemente de reparos", afirma a campeã olímpica Maurren Maggi, que passou os últimos 13 anos treinando e competindo no local. "Não vou dizer há quanto tempo (a pista está sem condições), até por uma questão de respeito - foi lá onde me preparei para a Olimpíada de Pequim. Mas a situação está precária."Em 8 de setembro, o Estado publicou reportagem em que o presidente da Federação Paulista de Atletismo, José Antonio Martins Fernandes, fazia um alerta: São Paulo pode não ter local em condições de receber eventos nacionais e internacionais no próximo ano. Nem sequer uma pista adequada para os treinos dos atletas de clubes paulistanos.O dirigente confirmou que a situação do Ibirapuera é difícil. "Passamos este ano com as condições mínimas necessárias. A partir de 2009, não dá para continuar. A pista está dura, pode causar lesões aos atletas." Mesmo em situação crítica, São Paulo recebeu neste ano o Troféu Brasil, a principal competição entre clubes do País, e um Grande Prêmio Internacional, que tem a chancela da Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF). Até ontem, 396 atletas de 25 Estados, além do Distrito Federal, disputavam o Campeonato Brasileiro Sub-23.Claury Santos Alves da Silva, secretário estadual de Esporte, Lazer e Turismo, garante que, até o fim de 2009, a pista do Ibirapuera será totalmente reparada. E ainda antecipa que as piscinas do Complexo serão remodeladas, assim como o Ginásio do Ibirapuera passará por nova reforma. "A parte mais demorada, que é o memorial de obras, já está feita. O edital de licitação deve ser publicado até o fim do ano."Para o presidente da Federação Paulista, é aí que está o grande problema. "O Poder Público tem mostrado boa vontade. Minha preocupação é com a etapa posterior." Ou seja, com o processo de concorrência. Qualquer discordância pode resultar em atraso na obra. Há quase um ano a Prefeitura de São Paulo tenta reformar a pista do Centro Olímpico, na Vila Mariana, mas esbarra em contestações sobre licitação. Se o mesmo acontecer também com o Ibirapuera, a capital ficará sem um local adequado para treinos e competições. Restará aos atletas recorrer às cidades de Praia Grande (litoral sul), Piracicaba ou Bragança Paulista (interior), em que pistas novas estão disponíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.