Em jogo sofrível, Palmeiras vence

Contra o Prudente, lanterna da competição, equipe de Felipão mostra erros grosseiros e a vitória veio apertada

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2010 | 00h00

O Palmeiras não enfrentou na noite de ontem apenas o lanterna do Brasileiro. Visitou e venceu um time que erra até arremessos laterais. A vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio Prudente, porém, foi difícil. E, pelo que mostrou, um empate - e até mesmo a derrota - não seria injusto.

A partida de Presidente Prudente colocou frente a frente os dois piores paulistas da competição. Se 12 pontos separavam as equipes antes de o jogo começar, o que se viu em campo foi uma igualdade técnica. E o Palmeiras só não levou o gol por causa da ruindade do adversário.

Não foi a primeira vez que o Alviverde atuou mal e saiu com os três pontos. O primeiro tempo do Palmeiras foi duro de assistir e irritou até o zagueiro Danilo e o goleiro Deola, que reclamaram com os companheiros em várias ocasiões.

Luiz Felipe Scolari armou o time com quatro volantes, mas não faltou espaço para o Prudente trabalhar. Principalmente do lado esquerdo, em cima de Rivaldo. Primeiro, Marcelo Oliveira chegou fácil e chutou fraco em Deola. Depois, Rodrigo Mancha, de cabeça, cabeceou para fora. No único ataque palmeirense, Kléber fez o goleiro Giovanni trabalhar e na sequência cruzou para Dinei também cabecear por cima do gol.

Ao contrário dos últimos jogos, Felipão preferiu ficar no banco de reservas e deixou seu auxiliar, Flávio Murtosa, em pé para passar as instruções aos jogadores. Expulso no clássico contra o São Paulo, o treinador preferiu evitar qualquer atrito com a arbitragem desta vez.

Apesar de ter se contido para ficar no banco, Felipão não conseguiu esconder a irritação com a atuação do time. Na etapa final, ao menos conseguiu ver uma melhora. Danilo teve a melhor chance para fazer 1 a 0, mas sozinho mandou a bola para fora. No lance seguinte, Edinho cruzou da direita, o estreante Dinei furou e Márcio Araújo chutou cruzado. Um arremate fraco, mas que acabou em gol aos 15 minutos.

O tempo seguinte seguiu sem emoção nem inspiração de ninguém. Até o minuto final, quando o zagueiro Anderson Luís comemorou o empate - ele, no entanto, estava impedido e o Prudente continua a caminho do rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.