Em Jundiaí, garrafa pet vale ingresso

O Paulista tem média de 1.036 torcedores pagantes nos jogos que fez até aqui contra times considerados pequenos no Estádio Jayme Cintra neste Estadual. Mas na partida de hoje contra o Botafogo, às 18h30, seu público deverá ser bem maior do que esta média. O clube de Jundiaí é o beneficiado da rodada pelo projeto Futebol Sustentável. Na iniciativa, o torcedor troca duas garrafas pet por um ingresso.

O Estado de S.Paulo

17 de março de 2013 | 02h08

Hoje, até 3 mil pessoas poderão entrar no estádio com bilhetes obtidos por meio da promoção. O projeto teve início na rodada passada, no jogo entre União Barbarense e Bragantino: do público de 4.826 pagantes registrado no borderô, 4.400 torcedores entraram graças às garrafas pet.

O presidente da FPF, Marco Polo del Nero, diz que o projeto pegou carona na onda de sustentabilidade existente na sociedade e está em uma "fase de laboratório''. "Queremos fazer o torcedor ir ao estádio, principalmente em jogos entre clubes de menor torcida'', explica. O destino das garrafas pet recolhidas são cooperativas de reciclagem nas cidades onde ocorrem os jogos.

O clubes também ganham reforço no caixa. Cada ingresso trocado acrescenta R$ 10,00 na renda. Com isso, após deduzidas as despesas, o clube pode receber uma cota maior do que se não houvesse promoção. No Paulista, a renda é do mandante.

A FPF decidiu fazer a promoção nas sete últimas rodadas da primeira fase e para os sete clubes de menor renda. Ainda serão beneficiados Atlético Sorocaba (dia 20, contra o Mogi Mirim), Mogi Mirim (24, contra o Mirassol), Oeste (28, contra o Guarani), São Caetano (31, contra o Mogi Mirim) e Penapolense (7 de abril, contra o Guarani).

Em Campinas, a Ponte Preta pega o Atlético Sorocaba e, se não perder, chega ao 12.º jogo invicto no Paulistão, como em 1981. Edson Bastos volta ao gol. O Atlético estreia o atacante Adriano Chuva. / ALMIR LEITE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.