John Locher/ AP
John Locher/ AP

Mayweather busca recorde em sua luta de despedida do boxe

Norte-americano pega o compatriota André Berto em último duelo

Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2015 | 09h17

O norte-americano Floyd Mayweather faz neste sábado contra o compatriota André Berto a luta em que promete fazer a sua despedida do boxe em meio a uma polêmica: ele foi acusado de ter se dopado antes do combate em que venceu Manny Pacquiao, que agora quer revanche. Mas, no momento, o pugilista, invicto em 48 lutas, está mais concentrado em manter-se imbatível.

Aos 38 anos, Mayweather foi bastante criticado por escolher como adversário na despedida, marcada para o MGM, em Las Vegas, nos Estados Unidos, um pugilista considerado bastante inferior. Berto ganhou seus dois últimos combates, contra Steve Chambers e Joselito Lopez. Mas jamais apresentou um boxe de primeira linha e, em 2011 e 2013, perdeu três lutas seguidas.

As críticas deixaram Mayweather contrariado. "Quem quer que seja, e eu escolho após vencer Manny Pacquiao, a imprensa sempre terá algo a dizer. Amir Khan? Vocês comentam sobre Berto ter perdido três de suas últimas seis lutas, mas Khan também perdeu três vezes e Andre (Berto), como ele, é bicampeão mundial", afirmou.

Pugilista mais bem pago da história - apenas contra Pacquiao a sua bolsa foi de US$ 300 milhões -, Floyd Mayweather pode igualar neste sábado o recorde do lendário Rocky Marciano, que venceu 49 lutas consecutivas na década de 1950. E ele diz não ter dúvida de que conseguirá. "O que eu posso dizer, é que vou sair com 49-0", garantiu.

O supercampeão foi mais longe. Afirmou que, mesmo que ocorra improvável tragédia neste sábado (a programação no MGM começa às 21 horas, de Brasília), não perderá o título de melhor pugilista do mundo. "Meu sonho sempre foi ser o melhor. Não importa o que aconteça na noite de sábado, quando se trata de boxe eu sempre serei o melhor".

Mayweather também demonstrou irritação ao falar da acusação de doping, feita na última quinta-feira por um jornalista - teria consumido 250 mililitros de salina e multivitaminas, além de injetar 500 mililitros de salina e vitamina C, quantidades acima do limite permitido pela Agência Mundial Antidoping (WADA) antes de enfrentar Pacquiao, em luta que ocorreu em maio. O boxeador rebateu. "Estou muito orgulhoso de ser um atleta limpo".

Pacquiao, porém, resolveu fazer barulho e disse ter direito a revanche, ignorando ao fato de Mayweather garantir que se aposenta neste sábado. Fez mais: pediu à Usada (Agência Antidoping dos Estados Unidos), que puna o rival. "Por uma questão de justiça e para o bem do esporte, se necessário a Usada deve impor sanções adequadas para manter sua credibilidade e mostrar ao mundo inteiro que Mayweather não teve nenhum tratamento especial. É por isso que eu quero uma nova luta, com disputa limpa. Sem favoritismo. Não uma luta em que a equipe de Mayweather dita as regras", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
boxeFloyd MayweatherlutasAndré Berto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.