Em Londres, Zé Roberto mantém indefinição sobre corte

Equipe de vôlei feminino ainda tem um corte a realizar: da ponteira Natália ou da líbero Camila Brait

AMANDA ROMANELLI, Agência Estado

22 de julho de 2012 | 13h56

A seleção feminina brasileira de vôlei desembarcou neste domingo, 22, em Londres. Ao contrário de outras equipes, é a única que ainda tem um corte a realizar. O técnico José Roberto Guimarães pretende esperar até o último minuto - que, no caso, é quinta-feira, data do congresso técnico da modalidade - para definir se a ponteira Natália ou a líbero Camila Brait ficam com o grupo.

Ao que tudo indica, Natália deve ser escolhida, mesmo sem ter jogado toda a última temporada por causa de um grave problema na tíbia esquerda. A jogadora passou por duas cirurgias no local para a retirada de um tumor. Zé Roberto, que sempre falou da importância da atacante para a equipe, afirmou que Natália tem treinado bem na reta final para os Jogos Olímpicos.

"Ela fez um ótimo treino na última atividade em Saquarema, na quinta-feira", disse o técnico, ainda no Aeroporto de Heathrow. "Vamos treinar hoje à noite para ver como está a recuperação de todas as jogadoras, mas a expectativa é grande. A gente ainda tem um certo tempo para poder esperar".

Natália já está inscrita na Olimpíada, ao contrário de Camila Brait. Mas a decisão não mostra, necessariamente, uma preferência do técnico pela ponteira. Inscrever Natália dá a Zé Roberto a possibilidade de fazer um corte por lesão, única maneira de se fazer a substituição de um atleta após a inscrição da delegação brasileira na Olimpíada.

Tudo o que sabemos sobre:
Vôlei Olimpíadas 2012olimpíadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.