Em Manaus, clima é o maior desafio

Organizadores vão precisar driblar a chuva durante a fase de obras

LIEGE ALBUQUERQUE, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2009 | 00h00

Os R$ 2,4 bilhões previstos para dar a Manaus toda a infraestrutura necessária para a Copa de 2014 não serão problema - o governo estadual alega já ter o valor em caixa. A grande preocupação da cidade, que superou Rio Branco (AC) e Belém (PA) na disputa pela sede amazônica, é o clima da floresta. As chuvas fazem parte do calendário de quase um semestre inteiro na região, prejudicando e atrasando obras.Trabalhar sem descanso nos períodos secos será a solução para que os projetos de ampliação de estádios, rede hoteleira e hospitalar, além do sistema de transporte da Copa, fiquem prontos a tempo. "A menor parte do montante (R$ 400 milhões) será para a reforma do Estádio Vivaldo Lima", conta o secretário estadual de Planejamento, Denis Minev. "Teremos R$ 2 bilhões para investir na infraestrutura de Manaus, com a possibilidade de construção de um metrô de superfície."Também é prevista pela Infraero uma reforma no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, com custo de R$ 793,5 milhões. Com uma nova pista e um terminal de passageiros ampliado, a capacidade do aeroporto quase triplicará - de 1,7 milhões para 4 milhões de pessoas quando as obras forem concluídas, em 2013. A iniciativa privada, por sua vez, terá que dobrar o número de leitos em hotéis e hospitais para atender às exigências da Fifa.ESTÁDIO TEMÁTICOOs jogos em Manaus não atenderão apenas ao público amazonense. Também serão atrativo para países vizinhos. Por isso, o projeto do novo Vivaldão, realizado pelo escritório alemão GMP, prevê a ampliação do número de espectadores: de 46 mil para 60 mil pessoas. O contexto da cidade não será esquecido.O visual da arena será regionalizado, com temas como o cesto de palha, a vitória-régia e escamas de cobra.A região também ganhará outros dois estádios, menores, específicos para treinos. Um na zona norte de Manaus, para 5 mil pessoas, e outro no município de Iranduba, a 25 quilômetros da capital, com capacidade para 15 mil torcedores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.