Asanka Brendon Ratnayake/Reuters
Asanka Brendon Ratnayake/Reuters

Em meio ao Aberto da Austrália, Melbourne decreta novo lockdown

Autoridades tentam conter a propagação do vírus após 13 infecções pelo coronavírus serem diagnosticadas em um hotel onde participantes do torneio fizeram quarentena

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2021 | 01h38

A segunda cidade mais populosa da Austrália entrará em lockdown imediato de cinco dias devido ao novo coronavírus, disseram as autoridades nesta sexta-feira, 12, impedindo os espectadores de assistirem ao Aberto da Austrália, torneio de tênis.

Um possível novo surto de infecções - ligado a um hotel em que participantes da competição fizeram quarentena em Melbourne, capital do estado de Victoria -, atingiu 13 casos. Esses diagnósticos incluem a nova variante do Reino Unido.

O premiê de Victoria, Daniel Andrews, anunciou o confinamento para o estado, começando à meia-noite desta sexta, proibindo reuniões públicas, casamentos e celebrações religiosas. "Devemos presumir que há mais casos na comunidade da qual tivemos resultados positivos, e que a contaminação está se movendo a uma velocidade que não foi vista no nosso país ao longo dos últimos 12 meses", disse a repórteres.

Questionado sobre o Aberto da Austrália, que vai até 21 de fevereiro, Andrews explicou que o evento foi considerado um local de trabalho, sujeito a restrições de bloqueio. “Não há fãs. Não há multidões. Essas pessoas estão essencialmente em seus locais de trabalho”, disse ele. "O número mínimo de funcionários para que o evento seja executado com segurança - não apenas por causa do vírus, mas por outros motivos - estará lá." O torneio já estava limitado a 50% da capacidade normal. 

Antes do anúncio, o primeiro-ministro, Scott Morrison, ofereceu total apoio de seu governo às decisões de Victoria sobre a contenção do surto.

"Temos lidado com (surtos) nas últimas semanas em Sydney, Brisbane e Perth e, portanto, uma resposta proporcional permite que os rastreadores sejam capazes de superá-los e obter o mesmo resultado de sucesso que vimos em outros estados ", disse Morrison à imprensa.

Victoria sofreu uma das quarentenas mais rígidas e longas do mundo no ano passado, após um surto que deixou mais de 800 mortos no estado. Até o momento, a Austrália já relatou quase 29 mil infecções pelo vírus da covid-19 e 909 óbitos desde março./ Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.