Em noite de desencontros, Palmeiras perde no Palestra

Time tem gol não validado, desperdiça pênalti e sofre derrota para o Argentinos Jrs por 1 a 0

O Estadao de S.Paulo

23 de outubro de 2008 | 00h00

Um gol legítimo não confirmado, um pênalti desperdiçado por Diego Souza após duas cobranças e um gol sofrido num contragolpe. Em noite onde nada deu certo, com confusão generalizada após o apito final, o Palmeiras perdeu pela segunda vez no ano no Palestra Itália. Com time cheio de reservas, levou 1 a 0 do Argentinos Juniors e terá de vencer em Buenos Aires, se quiser chegar às semifinais da Copa Sul-Americana.A decisão será no dia 5 e o Palmeiras terá de melhorar seu rendimento longe de casa no torneio, onde perdeu do Vasco e empatou com o fraco Ancash. Quem avançar, encara o vencedor de Botafogo x Estudiantes, que leva vantagem de 2 a 0.Vanderlei Luxemburgo surpreendeu ao optar por Marcos no gol. Todos apostavam em Bruno. Dos 11 escalados para o jogo de ontem, antes de a bola rolar, apenas o goleiro deve estar em campo no sábado, diante do Fluminense, pelo Brasileiro. Roque Júnior, Léo Lima e Diego Souza, os outros titulares, estão suspenso e não vão ao Rio."Tivemos um jogo muito duro com o São Paulo (domingo). Eu estou cansado até hoje (ontem), imagine os jogadores?", justificou o treinador, ao deixar atletas importantes de fora. "Mas o mais importante é saber que temos condições de seguir bem nas duas competições."Até hoje, nenhum brasileiro ganhou a Copa Sul-Americana - e Luxemburgo quer mudar a história. "Não podemos desperdiçar a oportunidade", endossou o zagueiro Gladstone.Contudo, o Palmeiras sofreu com a falta de entrosamento. Não se via jogada trabalhada. Desconto, pois o time utilizado ontem não fez nenhum treino junto. Mesmo assim, os lances mais perigosos vieram dos pés dos palmeirenses. Diego Souza assustou em cobrança de falta. Em outro lance de bola parada, Léo Lima caprichou, acertou o travessão e viu a bola quicar dentro do gol: 1 a 0? Não, pois o auxiliar Eduardo Dias não enxergou e recebeu sonora vaia. No rebote, Thiago Cunha também esbarraria no travessão.No mais, defesa difícil de Marcos com o pé, parando Hauche e mais nada. "Temos de melhorar no ataque, criamos pouco. Se ficarmos no 0 a 0 será muito complicado fora, principalmente se levarmos um gol lá", enfatizou o goleiro antes do intervalo.No segundo tempo, Marcos viu Diego Souza, em pênalti, ter a chance de abrir o placar. O meia, com paradinha, até marcou. O juiz mandou voltar. Sem paradinha, perdeu. O goleiro rival adiantou-se no lance - e defendeu -, mas a arbitragem ignorou a irregularidade. O castigo veio aos 21, com Escudero - pretendido pelo Corinthians -, que acertou chute cruzado no canto de Marcos: 1 a 0.No fim, Léo Lima não aceitou ver os argentinos comemorando e deu um tapa em Escudero, para confusão geral. "O Escudero disse que vai acabar com minha carreira. Mas entramos no jogo deles. Temos de aceitar que perdemos e pronto", disse o atacante Denílson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.