Em Orlândia, uma festa do hipismo

A maior competição hípica de saltos da América do Sul, o 6º Concurso de Saltos Internacional Agromen (CSI), começa amanhã e termina no domingo, no Centro Hípico Agromen, em Orlândia, na região de Ribeirão Preto. A organização espera a participação de cerca de 900 conjuntos (cavaleiros e cavalos), muitos renomados, e um público de aproximadamente 25 mil pessoas. A premiação será de mais de R$ 140 mil (relógios, cavalos e até um carro). A entrada para assistir as provas é gratuita. "A diversão será grande para todos", afirma o organizador esportivo da Agromen, Sergino Ribeiro de Mendonça, confiante no sucesso do evento, que é realizado há dez anos no Centro Hípico. Porém, a atração principal é a sexta competição internacional, com a participação de conjuntos de outros cinco países do continente sul-americano: Uruguai, Argentina, Paraguai, Equador e Colômbia. A prova de maior repercussão é a de 1,50 m (com os obstáculos colocados nessa altura, fica limitada a disputa aos conjuntos experientes e preparados), no domingo (20), a partir das 14h30, com 45 a 50 competidores disputando o título e o melhor prêmio do CSI: um Fiesta. Em 7 das 15 pistas do Centro Hípico serão realizadas as 49 provas previstas, de diversas categorias, divididas entre idades dos cavaleiros e amazonas, níveis dos competidores e idades dos animais. Também serão realizados os concursos nacional e estadual, a Copa Agromen de Cavalos Novos (para animais de 5, 6 e 7 anos) e as provas da Associação Paulista de Escolas de Hipismo e Cavaleiros (Apehc). Após três anos, no sábado (19) será disputado o Enduro Eqüestre de Regularidade, com percurso de 30 quilômetros. Os competidores serão da região e amadores. Os cavalos (cinco neste ano) incluídos nas premiações de algumas provas são criados no próprio haras Agromen e, com 4 anos, já estão prontos para praticar o hipismo. Segundo Mendonça, alguns dos competidores já confirmados são Vitor Alves Teixeira, Karina Johannpeter, Marcelo Artiago e Bernardo Rezende Alves (vencedor em 1999 e 2001 e da etapa, ainda nacional, em 1995). Em 2001, Rezende Alves (medalha de ouro por equipes nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg, em 1999), ganhou a prova no desempate, fazendo um tempo inferior ao segundo colocado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.