Em ritmo de treino, Santos goleia de novo

Em ritmo de treino, Santos goleia de novo

Na volta de Neymar, equipe enche a rede do Monte Azul e fica perto do objetivo: terminar a fase em primeiro lugar

Marcon Beraldo, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

Quem esperava show de bola e muitos gols na Vila Belmiro não ficou decepcionado. Sem fazer muito esforço, o Santos goleou o Monte Azul por 5 a 0 e ficou mais perto da classificação em primeiro lugar no Campeonato Paulista, agora a meta a ser alcançada. Com 41 pontos e 13 vitórias, o time só depende de mais uma vitória para garantir a invejável posição. Na temporada foram 7 goleadas, com 70 gols em 21 jogos.

No primeiro tempo, o Santos demorou para esquentar a máquina. Ainda mais porque o assustado Monte Azul marcava bem e fazia faltas que impediam o rápido toque de bola santista. Por isso, foi uma infração cometida em Neymar que deu origem ao primeiro gol na Vila Belmiro. Marquinhos cobrou com perfeição e o goleiro Luiz Carlos não conseguiu impedir que ela fosse à rede, aos 12 minutos.

Na frente, o Santos ficou mais tranquilo. Tranquilo até demais para o gosto do torcedor, acostumado ao festival de bola na rede. Mesmo assim, a torcida aplaudia até passes errados e chutes para fora. E, quando a fase está boa, até os adversários proporcionam presentes. Como aos 34 minutos, quando o goleiro Luiz Carlos quis sair jogando, errou o passe e a bola chegou para Paulo Henrique Ganso marcar por cobertura. "Foi um gol muito bonito. O André e o Neymar atrapalharam o goleiro e eu tive visão de jogo para encobri-lo", disse Ganso, político ao comentar sobre o frágil adversário.

No segundo tempo, o show de bola continuou em banho-maria, já que o adversário não exigia muito esforço. No momento em que a chuva aumentou, o Santos acabou se beneficiando com a expulsão de Neto Maranhão, que fez falta violenta.

Aproveitando uma lambança da zaga, Ganso ampliou aos 13. O técnico Dorival Júnior fez modificações para deixar seu time ainda mais ofensivo, enquanto o adversário, praticamente já rebaixado, tentava juntar os cacos para perder com dignidade.

Mas o Monte Azul continuou presenteando o Santos. Aos 19, Marquinhos bateu escanteio e o goleiro espalmou a bola para dentro: 4 a 0. E, aos 28, o goleiro Luiz Carlos se redimiu (em parte) defendendo o pênalti cobrado por André. Mas, como a noite era mesmo do Santos, o atacante chegou primeiro no rebote e marcou o quinto.

CAMINHO DA SEMIFINAL

Santos

Classificado

Santo André Classificado

Prudente

Se garante com duas vitórias nas duas últimas rodadas

São Paulo

Também avança se vencer os dois últimos jogos

Corinthians

Precisa vencer seus jogos e torcer contra os de cima

Portuguesa

Com duas vitórias, tem alguma esperança

Botafogo

Tem de ganhar todas e torcer

São Caetano

Apega-se apenas à matemática

Ponte Preta

Praticamente eliminada, depende de um milagre

SANTOS5

MONTE AZUL 0

CAMPEONATO PAULISTA

Gols: Marquinhos aos 12 e Paulo Henrique Ganso aos 34 minutos do primeiro tempo; Paulo Henrique Ganso aos 13, Marquinhos aos 19 e André aos 28 minutos do segundo.

SANTOS (4-4-2): Felipe; Pará, Bruno Aguiar, Durval (Zé Eduardo) e Léo (Rodriguinho); Arouca (Maikon Leite), Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André.

Técnico: Dorival Júnior.

MONTE AZUL (3-5-2): Luiz Carlos; Mauro, Ávalos e Cléber Carioca; André Cunha, Dedê (Diogo), Bilica (Franciscatti), Rafael Fefo e Neto Maranhão; Borebi e Rafael Chorão (Silvinho). Técnico: Márcio Bittencourt.

Juiz: Élcio Paschoal Borborema.

Cartão amarelo: André Cunha, Bilica, Paulo Henrique Ganso e Rodriguinho. Cartão vermelho: Neto Maranhão.

Renda: R$ 303.550,00

Público: (11.929 pagantes).

Local: Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.