AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Em segundo no Sertões, Fantozzi supera expectativas

O paulistano Tiago Fantozzi, da equipe Ipiranga/Webracing, está dando trabalho aos pilotos mais experientes na categoria motos na 14.º edição do Rally Internacional dos Sertões. Aos 26 anos, ele está na segunda posição na classificação geral e liderou duas das quatro etapas realizadas. Nesta segunda-feira, a caravana segue de Corrente (PI) para Barra, na Bahia, para o percurso de 448 quilômetros, sendo 273km de trecho cronometrado. No domingo, Fantozzi cumpriu o percurso de 266 quilômetros, o mais curto até aqui, entre as cidades de Alto Parnaíba, no Maranhão e Corrente, no Piauí, em terceiro lugar, em 2h25min54s. Jean Azevedo, da equipe Petrobrás/Lubrax, foi o melhor do dia (2h22min11s), seguido do francês Cyril Despres (KTM/Maisons France), com 2h24min54s. Na classificação geral, Cyril Despres é o líder com 14h04min27s; seguido por Fantozzi (14h05min19s) e de Jean Azevedo (14h18min50s). O jovem Fantozzi freqüenta os Sertões desde criança. Ele acompanhava seu pai (Décio) que competia em motos e até dois anos atrás fazia a cronometragem da competição da categoria cross country. Seus irmãos também andavam sobre duas rodas. ?Eles corriam muito de motocross e eu era o único que não despontava na família?, lembra Fantozzi que começou a andar de moto aos quatro anos. Sua estréia no Sertões foi em 1998. Nos anos seguintes, esteve sempre entre os três melhores na classificação geral, com exceção do ano passado quando abandonou a prova com problemas na moto. Sobre a disputa acirrada da competição, Fantozzi prefere não falar em favoritismo e adianta que não está acelerando muito sua moto. ?Estou andando normal. Não estou pisando tanto porque ainda faltam muitas etapas. Não posso judiar tanto da moto agora. Só na etapa de sábado e ontem que eu andei um pouco distraído e sofri duas quedas da moto?, afirma. Na terceira etapa, a mais longa e difícil da prova, entre as cidade de Palmas (TO) e Alto Parnaíba (MA), atravessando o deserto do Jalapão, com mais de 600 quilômetros, Tiago teve um problema com sua moto. Ele tinha largado na frente, mas na metade da prova foi prejudicado com um arame em sua roda traseira. Quando parou para tirar o arame, foi ultrapassado pelo francês Cyril Despres. Despres elogiou o desempenho do brasileiro. ?Ele disse que eu tenho muito potencial e estou andando bem. Receber um elogio dele, do cara que venceu o Dacar no ano passado, me deixou muito feliz. Telefonei para todo o mundo para contar?, diz Fantozzi. Foi do francês também que o paulistano recebeu o convite para correr o Rally Dacar, o maior e mais perigoso do mundo. ?Vou intensificar meus treinos quando o Rally dos Sertões terminar. Correr o Dacar é um grande sonho?, afirma Fantozzi que não vive apenas de competições de moto. Formado em Administração, é gerente de produto de uma empresa e ainda trabalha numa produtora de vídeo.

Agencia Estado,

30 Julho 2006 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.