Marco Vasini/AP - 2/10/2010
Marco Vasini/AP - 2/10/2010

Em temporada da crise, Campeonato Italiano enfim tem início

Com pouco investimento e atraso por causa da greve, disputa vai ser aberta com Milan x Lazio

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2011 | 00h00

A Itália é um país economicamente abalado. Dados oficiais mostram que a última década foi de estagnação. A média anual de crescimento foi de apenas 0,3% e a produtividade dos trabalhadores despencou, assim como o poder de compra. O reflexo da crise está no Campeonato Italiano, que se inicia hoje com Milan x Lazio - partida antecipada porque terça-feira o time de Milão estreia na Liga do Campeões contra o Barcelona, na Espanha.

A competição começa com duas semanas de atraso porque os jogadores resolveram entrar em greve justamente por causa de dinheiro. Eles se levantaram contra os clubes, que afastam atletas dos seus elencos na tentativa de forçá-los a pedir a rescisão do contrato, abrindo mão do que teriam a receber até o fim do vínculo. Outro ponto de discórdia era o pagamento de tributos. Os atletas não queriam ver descontado dos seus salários o "Imposto de Solidariedade", taxa criada pelo governo para quem ganha mais de 90 mil (R$ 208 mil) por ano, ou seja, quase 100% dos atletas da Série A.

Não por acaso, a janela de transferências foi morna. Ao contrário dos últimos anos, o negócio mais chamativo foi de venda e não de compra. Samuel Eto"o deixou a Inter de Milão por 27 milhões (R$ 62,1 milhões) para receber 20 milhões (R$ 46 milhões) por temporada no Anzhi Makhachkala, na Rússia. Para compensar a saída de seu principal atacante e fazer caixa, a Inter trouxe Diego Forlán, do Atlético de Madrid, por 5 milhões (R$ 11,5 milhões).

O técnico Leonardo saiu da Inter e foi substituído por Gian Piero Gasperini (ex-Genoa). O clube renovou com Lúcio até 2014, contratou o lateral-direito Jonathan (ex-Santos), o meia argentino Alvarez (ex-Vélez) e o atacante Zárate, emprestado da Lazio.

A Juventus, dona da maior torcida da Itália e de 27 títulos, renovou o elenco para se recuperar de um decepcionante sétimo lugar. A revolução começou fora de campo. Contratou o técnico Antonio Conte, que fez história como jogador do clube.

Dentro de campo, Pirlo, após 10 anos no Milan, será o maestro da equipe. Vale destacar também a chegada do atacante montenegrino Vucinic, ex-Roma.

O maior atrativo da Juve, porém, é o seu estádio, inaugurado ontem. É o primeiro grande clube do país a ter casa própria.

A Roma, quarta colocada na temporada passada, sonha com voos mais altos e, por isso, resolveu se espelhar no Barcelona. A missão está nas mãos do técnico Luis Enrique, discípulo de Guardiola e que dirigia o Barça B. Os reforços são o volante Fernando Gago, os meias Pjanic e Lamela, o goleiro holandês Stekelenburg, o atacante Bojan e os zagueiros Heinze e Kjaer.

Em Milão. O campeonato começará pela segunda rodada porque a primeira teve de se adiada devido à greve. Atual campeão, o Milan levará a campo diante da Lazio um time muito parecido com a da temporada passada. A base é praticamente a mesma. Chegaram o zagueiro Mexès, o lateral-esquerdo Taiwo e o meia Antonio Nocerino, do Palermo.

Já a Lazio, aposta em uma dupla de ataque formada por estrangeiros: Miroslav Klose (alemão) e Djibril Cissé (francês).

AS NOVAS ESTRELAS

Internazionale de MiIão

O clube pagou R$ 11,5 milhões para trazer o atacante uruguaio Diego Forlán do Atlético de Madrid. É a maior negociação da temporada. Foram contratados também Jonathan, Alvarez e Zárate.

Roma

Quarta colocada na temporada passada, equipe terá o reforço de sete novos jogadores. São eles: Fernando Gago, Pjanic, Lamela, Stekelenburg, Bojan , Heinze e Kjaer.

Lazio

O outro time da capital foi buscar dois jogadores para o ataque. São eles Miroslav Klose e Djibril Cissé.

Milan

O atual campeão não fez muitas mudanças. Manteve a base e trouxe o zagueiro Mexés, o lateral-esquerdo Taiwo e o meia Antonio Nocerino.

Juventus

Com estádio e técnico novos, a maior vencedora da Itália aposta na experiência do veterano volante Pirlo, que saiu do Milan após dez anos, para recuperar o prestígio. No ataque, a aposta é no montenegrino Vucinic, trazido da Roma.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato ItalianoMilanLazio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.