Em Volta Redonda, Flu experimenta a terceira casa

Depois de jogar no Maracanã e no Engenhão, time defende a liderança contra o Avaí a duas horas de viagem do Rio

Leonardo Maia / RIO, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2010 | 00h00

Novamente no topo do Campeonato Brasileiro, o Fluminense recebe o Avaí, hoje, às 21 horas, consciente de que uma equipe que luta pelo título não pode se dar ao luxo de perder pontos para uma que luta contra o descenso, ainda mais jogando em casa. Quer dizer, casa em termos. A partida será no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, distante duas horas de viagem do Rio. Trata-se da terceira casa do Tricolor, que não pôde levar a partida para o Engenhão porque o castigado gramado passará por manutenção.

A Confederação Brasileira de Futebol chegou a marcar o jogo para São Januário, mas o Vasco, dono do local, vetou alegando também que o campo não suportaria a sequência de jogos. Com isso, só sobrou o aprazível estádio da Cidade do Aço.

"Vale o sacrifício pela Copa. É ruim porque você perde um pouco o território, sua torcida. Sempre mudando de campo, o torcedor às vezes desanima. A cidade está a duas horas do Rio. Apesar de ser um estádio maravilhoso, a torcida do Rio fica um pouco desanimada", disse o lateral-esquerdo Julio Cesar, que volta ao time com a suspensão de Carlinhos.

A maioria dos jogadores está habituada com o estádio, onde o Fluminense jogou algumas vezes pelo Campeonato Carioca deste ano. Mas, por Brasileiros, o time das Laranjeiras não atua em Volta Redonda desde 2007 - empate sem gols com o Paraná. Em 31 partidas no Raulino pela competição nacional, o Tricolor venceu 17, empatou sete e perdeu outras sete.

Seguem fora. Ainda sem poder contar com o atacante Fred, o meia Emerson e o volante Diguinho - que devem iniciar a recuperação física a partir de sexta-feira, o técnico Muricy Ramalho pelo menos está podendo manter a base que vem atuando nas últimas partidas. "Quem está jogando está dando conta do recado. É claro que, nesta reta final, quem voltar será um reforço a mais", comentou Julio Cesar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.