Emanuel e Ricardo vencem no Vôlei de Praia

No primeiro dia de jogos do Campeonato Mundial Masculino de Vôlei de Praia, nesta terça-feira, em Copacabana, a dupla brasileira Ricardo e Emanuel, atual líder do ranking mundial, estreou com vitória. Eles superaram os compatriotas Flávio Luís e Paulo Emílio, por 2 sets a 1, com parciais de 21 a 14, 15 a 21 e 15 a 8. Para garantirem o título do Circuito Mundial basta que os dois se classifiquem às quartas-de-final. "Cada jogo a gente encara como se fosse uma pequena final. Estamos disputando um título importante que vai coroar um ano inteiro de trabalho", disse Ricardo. "A pressão para ganhar pode até atrapalhar, mas também pode servir como um incentivo." A dupla venceu facilmente o primeiro set. No segundo, porém, levou um susto, recuperando-se em seguida. Mas não foram apenas Ricardo e Emanuel que estrearam dando alegrias à torcida brasileira que compareceu em bom número à Arena de Copacabana. Tande e Pedro Cunha derrotaram os suíços Heuscher e Kobel por 2 sets a 0. Anselmo e Pará venceram a forte dupla americana Blanton e Nygaard pelo mesmo placar. Duas duplas brasileiras, porém, não foram felizes. Harley e Franco perderam de virada para os alemães Klemperer e Rademacher, por 2 sets a 1. Márcio e Benjamim, candidatos ao título do Mundial, acabaram derrotados pelos australianos Prosser e Williams, também por 2 sets a 1. "Tiveram algumas bolas polêmicas, mas não podemos culpar a arbitragem", disse Márcio. Durante toda a partida, os brasileiros reclamaram constantemente do árbitro. "Nossos adversários souberam explorar as deficiências", completou Benjamin. Com os resultados do primeiro dia, oito duplas brasileiras têm chances de conquistar o Campeonato Mundial. Já o Circuito Mundial só pode ser vencido por Ricardo e Emanuel ou Márcio e Benjamin. A etapa do Rio de Janeiro corresponde ao Mundial, que é disputado de dois em dois anos. São 48 duplas divididas em 12 grupos com quatro equipes cada. As duas melhores de cada chave avançam para a segunda fase, assim como os oito melhores terceiros colocados. A competição é fundamental para as duplas brasileiras que sonham em disputar os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.