Emerson Sheik está pronto para voltar

Atacante participou de coletivo ontem e deve ser aproveitado no jogo de domingo contra o Inter em Porto Alegre

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h06

Emerson Sheik deu ontem seu último passo para voltar ao time. O atacante participou de coletivo no CT e está à disposição de Tite para enfrentar o Internacional, domingo, no Beira-Rio.

Será sua primeira partida desde que machucou o joelho direito no jogo contra a Portuguesa, há um mês. Ele treinou durante 40 minutos numa equipe formada por jogadores reservas ou aqueles que não jogaram 90 minutos contra o Coritiba, entre eles Danilo. Na segunda parte do treino, foi substituído.

Com uma atuação discreta - sem chutes ao gol ou jogadas individuais -, Sheik mostrou certa falta de ritmo. Em alguns lances, era visível seu receio de se machucar, algo natural para quem está afastado por contusão e tem a cabeça no Mundial que será disputado em dezembro.

Desde a lesão esse foi o primeiro contato "mais sério" que Sheik teve com bola - semana passada ele apenas participou de um rachão. Ontem Sheik sofreu marcação dos zagueiros reservas Wallace e Antônio Carlos e não construiu uma só jogada com seu companheiro, Zizao - este continua caindo demais, não por malandragem, mas por fragilidade.

No final, o time de Sheik e de Danilo perdeu por 2 a 0, com gols de Romarinho e de Adílson. Tite acompanhou de perto a atividade. O cenário mais provável é que o atacante comece no banco contra o Inter. O técnico fez isso com Danilo, que também retornava de contusão e entrou no segundo tempo contra o Coritiba.

Com o retorno de Sheik, Tite terá força máxima à disposição. A ideia do treinador é escalar o que tem de melhor tanto contra o Inter como nas duas rodadas finais, nos clássicos contra Santos e São Paulo, para o time chegar com ritmo ao Japão.

Dicas do rival. Membro do Comitê Organizador do Mundial de Clubes, o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, deve ligar nos próximos dias para o colega corintiano Mário Gobbi a fim de passar algumas dicas sobre a competição. Além de participar da organização, Luis Alvaro tem a experiência de no ano passado ter estado no torneio com o Santos.

Ele, inclusive, brincou com a goleada por 4 a 0 sofrida na decisão: "O Mário Gobbi está tranquilo porque não vai enfrentar o Barcelona." O dirigente não vai ao Japão por recomendação médica. No fim de outubro ele passou cinco dias internado após sentir um forte cansaço. / COLABOROU RAPHAEL RAMOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.