Emoção marca enterro do ex-atleta Nelson Prudêncio

SÃO CARLOS - Foi sepultado na tarde desta sexta-feira, debaixo de muitos aplausos, no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, em São Carlos (SP), o corpo de Nelson Prudêncio, duas vezes medalhista olímpico no salto triplo. Ele faleceu aos 68 anos ainda na madrugada, vítima de um câncer de pulmão. O enterro contou com centenas de pessoas, incluindo, familiares, amigos e esportistas em geral.

RENÊ MOREIRA, Agência Estado

23 de novembro de 2012 | 19h14

A doença foi descoberta há apenas 15 dias e já estava em estado avançado. A morte repentina pegou a todos de surpresa e a despedida foi marcada por muita emoção. Arranjos de flores foram enviados por entidades, empresas, amigos e órgãos ligados à área esportiva. No velório, o clima foi de grande tristeza, mas as pessoas não deixavam de lembrar das muitas virtudes de Nelson Prudêncio e de sua dedicação em favor do atletismo brasileiro.

Até mesmo quem não tinha tanta intimidade com o ex-atleta fez questão de se despedir. Foi o caso do aposentado José Carlos Arantes, de 68 anos, que levou junto o neto de dez anos. "Moro em São Carlos e conheço toda a história dele, apesar de não ter amizade. Fiz questão de vir aqui e trazer meu neto que também sonha em ser esportista. Aqui está um exemplo a ser seguido", contou ele, enquanto observava o caixão ser levado para a sepultura.

Maurren Maggi, campeã olímpica do salto em distância, vestia preto e também não conteve as lágrimas. "Aprendi muito com ele, era uma pessoa maravilhosa", afirmou a atleta, ainda durante o velório. Ela fez questão de ficar até o enterro, acompanhando todo o cortejo aos prantos.

Nelson Prudêncio teve sua vida marcada pelas conquistas no atletismo e por sua luta em favor da modalidade no Brasil. O professor Sebastião Vicente Júnior, amigo dele há mais de 40 anos, falou sobre essa perda. Ambos lecionavam na Universidade Federal de São Carlos, que divulgou uma nota de luto pelo ocorrido. "Ele foi um grande tutor para o esporte e um exemplo para muito gente que se inspirou nele", contou.

Muitas coroas de flores enfeitaram o velório, enquanto que uma bandeira do Brasil cobriu o caixão durante o caminho para a sepultura. A morte de seu vice-presidente fez a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) decretar luto oficial por sete dias. O presidente em exercício da entidade, Roberto Gesta de Melo, disse que o Brasil sofreu uma grande perda.

HistóricoNelson Prudêncio fez história ao conquistar duas medalhas olímpicas, uma de prata na Cidade do México/1968 e uma de bronze em Munique/1972. Com doutorado em educação física pela Unicamp (Universidade de Campinas), ele residia em São Carlos, onde vinha exercendo o cargo de professor na UFSCar (Universidade Federal de São Carlos).

Ele é considerado um dos maiores na história do salto triplo no Brasil, tendo seguido a mesma trilha de outro grande atleta da modalidade, Adhemar Ferreira da Silva. Nascido em Lins, no interior paulista, no ano de 1944, Nelson Prudêncio sonhava ver novamente o Brasil no pódio da modalidade, o que não ocorre há mais de 30 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoNelson Prudêncio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.