Michael Llevitt - 30/1/2012
Michael Llevitt - 30/1/2012

Empresa dá US$ 3 milhões para Barrichello correr na Fórmula Indy

Após 19 anos na F-1, piloto anuncia na quinta-feira seu ingresso na KV, equipe de Tony Kanaan

O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2012 | 03h03

SÃO PAULO - Rubens Barrichello convocou uma coletiva de imprensa na quinta-feira para confirmar oficialmente seu ingresso na Fórmula Indy. O piloto brasileiro vai correr pela KV, a equipe do ex-piloto Jimmy Vasser, pela qual pilota seu grande amigo Tony Kanaan. Ele já tem a verba necessária para disputar todas as etapas.

A participação foi viabilizada graças à BMC, a Brasil Máquinas, que aluga escavadeiras e empilhadeiras. A empresa tentou bancar a participação de Rubinho na Williams nesta temporada, oferecendo 3,5 milhões (pouco mais de R$ 8 milhões), mas Bruno Senna apresentou um pacote bem mais interessante, graças ao apoio de três patrocinadores (Procter & Gamble, Embratel e OGX).

A BMC tem uma equipe na Stock Car e patrocinou a última edição da Corrida do Milhão. Uma temporada na Fórmula Indy custa, para uma equipe média, cerca de US$ 3 milhões (pouco mais de R$ 5 milhões).

Um dos principais entraves para a participação de Rubinho na categoria teria sido a promessa que ele fizera à mulher, Silvana, de não correr em ovais. Mas apenas quatro etapas da temporada 2012 serão disputadas nesse tipo de circuito.

Chamariz. A IRL vê com muito bons olhos a entrada de Rubens Barrichello, recordista em número de GPs disputados de F-1 (325, ao logo de 19 temporadas) na categoria.

O Brasil é um de seus mais importantes mercados, e a Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) é um de seus mais fortes patrocinadores.

Quando Rubinho começou a testar um carro da Indy, em Sebring, no início do mês, até o presidente da Indy, Randy Bernard, foi assistir ao treino.

Rubinho foi pessoalmente conversar com a cúpula da TV Bandeirantes para saber como é a divulgação da categoria, a fim de poder esclarecer aos patrocinadores qual seria a sua visibilidade.

Rubinho, vice-campeão da F-1 nas temporadas 2002 e 2004, se empolgou com o novo Dallara-Chevrolet turbo logo na primeira volta.

No último fim de semana, no circuito de Infineon, o brasileiro cumpriu mais um cronograma de treinos.

A Penske fez os melhores tempos. Rubinho foi o quarto, à frente de Kanaan (quinto), mas atrás do venezuelano Ernesto Viso (terceiro), ex-piloto de testes da equipe Spyker, da Fórmula 1, que hoje pilota para a KV.

A temporada começa no próximo dia 25, em São Petersburgo, na Flórida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.