Endividado, Holyfield sobe novamente no ringue aos 48 anos

Com as finanças em ruínas, o ex-campeão tenta retomar a carreira para ser o mais velho a conquistar um cinturão

, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2011 | 00h00

WHITE SULPHUR SPRINGS, EUA

Desta vez a luta não deverá mais ser adiada, como já ocorreu quatro vezes. Evander Holyfield enfrenta hoje, no lendário resort de luxo Greenbrier, no Estado West Virgínia, nos EUA, o também americano Sherman Williams. A idade dos dois pesos pesados é uma das atrações do combate: Holyfield, com sérios problemas financeiros, tenta aos 48 anos retomar a carreira. Williams, 38, pensa ser possível ainda ser campeão do mundo.

A vontade de Holyfield, bem como a de seu empresário, Ken Sanders, de tornar-se o mais velho boxeador a conquistar um título é tanta que já dia 5 de março, ou seja, apenas 42 dias depois da luta de hoje à noite, tem outra programada. Será contra o dinamarquês Brian Nielsen, em Copenhague. O último combate do norte-americano foi no dia 10 de abril de 2010, quando ganhou por nocaute do sul-africano François Botha, em Las Vegas.

O desafio de hoje deveria já ter ocorrido há alguns meses, mas a falta de um acordo para a transmissão o adiou sucessivamente, deixando bem pouco tempo para Holyfield se preparar para enfrentar Nielsen. Super Brien, como é conhecido, é outro veterano, 45 anos, e não sobe no ringue há oito anos. O mais velho campeão do mundo entre os pesados é George Foreman. Em 1994, aos 45 anos, o texano venceu Michael Moore, de 26, por nocaute.

O retrospecto de Holyfield nas tentativas de reconquistar os títulos não é favorável. Em dezembro de 2008, perdeu por pontos para o gigante russo Nikolai Valuev, em Zurique. Valia o cinturão da Associação Mundial de Boxe. Em outubro de 2007, também perdeu por pontos para outro russo, Sultan Ibragimov, e estava em jogo o cinturão do Conselho Mundial de Boxe.

Holyfield pode ser um apaixonado pelo boxe, como afirma, mas suas dificuldades financeiras têm grande importância nesse seu projeto de voltar a ser campeão. O puglista nascido em Atmore, no Estado de Alabama, no dia 19 de outubro de 1962, tem 11 filhos e várias ex-esposas, que o acionaram judicialmente, requerendo elevadas somas de dinheiro. Em algumas ocasiões, Holyfield pagou atrasos de pensão na última hora para não ser preso.

No dia 13 de novembro de 1999, ao ser derrotado por pontos por Lennox Lewis, em Las Vegas, Holyfield perdeu o cinturão da Associação Mundial de Boxe e da Federação Internacional de Boxe. Como pugilista profissional, um dos seus grandes méritos foi ter vencido duas vezes o fenômeno Mike Tyson. Seus cachês, agora, porém, são muito inferiores aos do tempo em que setornou um dos grandes pesos pesados da história do boxe.

ÓTIMO RETROSPECTO

55

lutas tem Holyfield na carreira: 43 vitórias, 10 derrotas e 2 empates

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.