Entidade informa que saída do Corinthians não é imediata

Em carta encaminhada ao clube, direção do C13 diz que processo leva 60 dias e precisa de aval do Conselho Deliberativo

Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2011 | 00h00

A direção do Clube dos 13 se manifestou ontem em relação à decisão do Corinthians de se desfiliar da entidade. Em carta assinada pelo presidente Fábio Koff, encaminhada ao Parque São Jorge e publicada em seu site, o C13 acusa o recebimento do pedido, mas lista uma série de procedimentos que precisam ser cumpridos para que a saída se concretize. O principal deles é a aprovação por parte do Conselho Deliberativo do clube.

Além da aprovação do CD, a notificação deve ser feita com antecedência de 60 dias. Relata o documento: "Diante da referida comunicação, cabe-nos alertar que o vigente estatuto desta entidade prevê que a qualidade de associado cessará, dentre outras hipóteses: através de pedido devidamente formalizado, com notificação prévia de sessenta dias, desde que aprovado pelo Conselho Deliberativo do Associado se assim estiver previsto no respectivo estatuto."

O trecho destacado, de acordo com a interpretação dos dirigentes do C13, deixa claro que o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, não tem autonomia para decidir sozinho pela desfiliação da entidade.

No referido período de 60 dias citado pelo C13, o Corinthians continua na condição de associado à entidade, com direitos de obrigações. "Caso deseja ratificar a cassação de sua condição de associado a partir de 24/04/2011 (término do prazo de 60 dias), deverá apresentar cópia do vigente estatuto do Sport Club Corinthians Paulista e, em caso de previsão estatutária, deverá, ainda, comprovar a aprovação de seu pedido de desligamento por seu Conselho Deliberativo."

Pressão. O C13 voltou a dizer que, para deixar a entidade, o Corinthians deverá quitar eventuais débitos pendentes. No caso, a menção é feita aos adiantamento de cotas de tevê. "Nesse caso, tudo bem. O dinheiro que o Corinthians tem direito de receber pelo contrato que ainda está em vigência do Campeonato Brasileiro, que termina no final deste ano, pode ser usado para isso (o acerto)", disse Sanchez, para, em seguida, ironizar. "Gostaria de agradecer ao presidente (Fábio Koff) por ter me chamado de moleque. Me senti mais jovem com essa colocação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.