Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

ENTREVISTA - 'Eu caí, mas caí para cima', diz Anderson Silva

Spider admite erro na derrota para Weidman e anuncia treino na Tailândia para revanche

Bruna Toni e Guilherme Dorini, O Estado de S. Paulo

29 de julho de 2013 | 07h00

SÃO PAULO - Quem já acompanhou a saga de algum super-herói dos quadrinhos sabe que altos e baixos fazem parte da história de superação do homem com poderes sobrenaturais. Talvez por isso

ESTADÃO - Você continua com a ideia de participar dos Jogos Olímpicos do Rio, lutando tae kwon do?

ANDERSON SILVA - Essa ideia estava super fixa na minha cabeça, mas eu tenho tanta coisa, tantos compromissos para serem cumpridos com meus patrocinadores, com o UFC, que eu precisaria de um tempo para fazer um treinamento específico para me preparar da forma correta de participar de algumas competições para que eu pudesse me credenciar para disputar uma competição olímpica. Mas eu não consegui tempo, mas é uma coisa que eu gostaria de ter feito sim, infelizmente o tempo não me deu essa oportunidade. Eu ia participar como qualquer outro atleta, fazer as seletivas. Como eu não tenho tempo para treinar, me adaptar, ter treino suficiente para participar das seletivas para tentar uma vaga, não deu certo, mas era uma coisa que eu gostaria de ter feito sim.

ESTADÃO - Antes da luta contra Weidman, você tinha expressado o desejo de lutar boxe contra o Roy Jones Jr? Ainda pensa nisso?

ANDERSON SILVA - Claro, é meu sonho lutar contra o Roy Jones Jr.. É um desejo pessoal meu, ele também disse que gostaria que a luta acontecesse e espero que aconteça logo. Eu tenho contrato com o UFC, acho que tem que ser uma coisa conversada com o Dana e o Lorenzo, para que eles me liberem para fazer essa luta. Acho que vai acontecer sim.

ESTADÃO - Quando começa sua preparação para a revanche?

ANDERSON SILVA - Já comecei, já estou treinando. Estamos com um calendário de treino bacana, estamos indo em breve para a Tailândia para passar um tempo lá e depois voltamos para terminar nosso treino no Rio.

ESTADÃO - Em quem você se inspira para continuar motivado?

ANDERSON SILVA - Minha inspiração é saber que eu posso fazer o que eu amo. Tenho meus ídolos, sou fã do Roy Jones Jr., do Muhammad Ali, do Bruce Lee. São figurinhas carimbadas do meio do esporte que eu admiro bastante e tento pegar alguma coisa deles e colocar no meu jogo.

ESTADÃO - Tem algum lugar em especial que você gostaria de lutar? Algum adversário?

ANDERSON SILVA - Não, acho que tudo está caminhando da maneira que tem que caminhar. É aguardar os próximos compromissos com o UFC e treinar bastante, ficar focado para os próximos compromissos.

ESTADÃO - Você tem vontade de lutar em um estádio de futebol?

ANDERSON SILVA - Acho que está caminhando para isso. O esporte está crescendo no Brasil e logo vamos ter um grande evento no estádio de futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCAnderson SilvaMMAlutas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.