Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Entrevista - O atletismo escolheu Fabiana Murer, 2 vezes campeã do mundo

Saltadora começou a carreira na ginástica e conta que mudança veio por acaso

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2013 | 14h57

SÃO PAULO - Fabiana Murer tinha 15 anos quando ficou alta para a ginástica. O atletismo surgiu por acaso, após a sugestão do pai para fazer um teste. Desde então, apaixonou-se pelo salto com vara. Com dois títulos mundiais, sonha com a medalha olímpica – e a vontade de conquistá-la no Rio fez a atleta de 32 anos prolongar a carreira até 2016.

Como foi a mudança para o atletismo?

Primeiro pensei em ir para a natação e, depois, para o vôlei. Fiz um treino na natação e não gostei. No vôlei, fiquei enrolando e não fui fazer o teste. Aí meu pai viu um anúncio no jornal sobre o atletismo. Fui fazer o teste e achei muito fácil, porque já tinha o preparo da ginástica. Entrei no atletismo por acaso.

Como foi o teste?

Era uma corrida de mil metros, para ver a resistência; uma de 50 metros, para a velocidade; e o salto em distância parado, em que a gente fica na pontinha da caixa de areia e dá um salto.

É possível fazer atletismo como hobby?

Sim, especialmente as corridas de rua. Lógico que para algumas provas não é possível, como o salto com vara, em que você precisa de um local, material. Mas dá para brincar com corridas de velocidade, salto em distância. O atletismo é divertido, descontraído, e um esporte básico, que prepara para outras modalidades.

Qual é a sua rotina de treinamentos?

Na época em que não estou competindo, treino seis horas em dois períodos, cinco dias por semana. Faço corrida para ganhar resistência, musculação e até outras provas, como corrida de barreiras e salto em distância. Também treino ginástica artística. Quando entra o período de competição, a frequência diminui um pouco: treino de duas a três horas por dia, seis vezes por semana.

Quais seus planos para a temporada?

Já tenho índice para o Mundial de Moscou, em agosto, e estou me recuperando de uma lesão no tendão de Aquiles. Meu objetivo é buscar uma medalha (Fabiana foi campeã na Coreia do Sul, em 2011), mas não vai ser fácil, porque o salto com vara feminino é muito competitivo.

E sobre o futuro? Você pretende competir na Olimpíada do Rio, em 2016?

Quero sim estar em 2016, que provavelmente vai ser meu último ano no atletismo, e gostaria de participar de uma Olimpíada no Brasil. Por isso, decidi estender minha carreira até 2016. Acredito que posso chegar em boas condições de buscar uma medalha, mas ainda tenho três anos para conseguir bons resultados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.