UFC/Divulgação
UFC/Divulgação

Envolvidos em briga, Igor e Renzo Gracie são presos nos Estados Unidos

Brasileiros entram em confusão com seguranças de boate em Nova York

O Estado de S. Paulo

20 de maio de 2014 | 13h13

SÃO PAULO - Os lutadores brasileiros Igor Gracie e Renzo Gracie, membros da família mais famosa do jiu-jitsu brasileiro, foram presos na madrugada de domingo para segunda-feira após se envolverem em briga na boate 1-Oak, em Nova York, Estados Unidos.

Segundo o site Sherdog, especializado em mma, Renzo, 47 anos, chegou acompanhado por um grupo de sete homens que imediatamente se colocaram na linha de frente da confusão. O tumulto começou após discussão entre o faixa preta e um segurança na fila da casa noturna.

Renzo se envolveu num confronto com o porteiro da boate e a confusão se alastrou. De acordo com a testemunha, um dos acompanhantes do brasileiro chegou a montar sobre o porteiro, enquanto outro membro do grupo acertou um dos seguranças com um cone de trânsito. De acordo com a Fox Sports, o porteiro teve o braço fraturado na briga.

Renzo Gracie é um dos nomes mais conhecidos do mma. O mestre de jiu-jitsu já participou de eventos como Pride, K-1 e UFC. Com um cartel de 13 vitórias, sete derrotas e um empate, o lutador jamais se aposentou oficialmente, mas não se apresenta desde 10 de abril de 2010, quando foi nocauteado por Matt Hughes no UFC 112. Hoje administra sua academia nos Estados Unidos e é um dos mais cobiçados treinadores das artes marciais. O brasileiro tem o ex-campeão peso-leve do UFC Frankie Edgar e o atual campeão peso-médio Chris Weidman entre seus alunos.

Igor Gracie, 34, é primo de Renzo e filho de Rolls Gracie, um dos mentores do lendário Rickson Gracie. Ele fez nove lutas profissionais de mma, com cinco vitórias e quatro derrotas, a última delas em março de 2013, pelo World Series of Fighting. Igor também tem uma academia no estado de Nova York, em New Rochelle.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
UFCRenzo Graciemma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.