Tom Szczerbowski/ USA Today Sports
Tom Szczerbowski/ USA Today Sports

Após 24 anos, equipe de saltos do hipismo fica sem medalha no Pan

Eduardo Menezes ainda busca pódio e vaga no time olímpico

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 17h53

O grande nome do hipismo brasileiro ainda era o de Neco Pessoa quando o País ficou fora do pódio da competição por equipes de saltos nos Jogos Pan-Americanos pela última vez. Nesta quinta-feira, 24 anos depois, isso voltou a acontecer. Quinto colocado no Mundial do ano passado, o Brasil ficou apenas na quarta colocação em Toronto.

O time, é importante ressaltar, competiu desfalcado. Doda foi cortado já com o Pan em andamento porque sua montaria sofreu uma lesão. Rodrigo Pessoa foi convocado para o seu lugar, mas foi a Toronto apenas para o risco de algum outro conjunto ter problemas. Ficou na reserva, mesmo sendo campeão olímpico.

Além deles, Karina Johannpeter também recusou participar do Pan, alegando que sua montaria ficaria muito desgastada. Mesmo assim, o Brasil tinha uma equipe forte, em condições de brigar com EUA e Canadá, duas das mais fortes escolas do mundo. Mas acabou atrás também da Argentina.

Os brasileiros terminaram a competição por equipes com 14 pontos perdidos, dois a menos que os EUA, que ficaram com o bronze. A Argentina somou oito e o Canadá sete. Os donos da casa não só ganharam o ouro como comemoraram a vaga nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. O Brasil, por ser país sede, já estava classificado.

Eduardo Menezes (montando Quintol) teve apenas um ponto perdido nas duas apresentações do dia e terminou como melhor brasileiro. Pedro Veniss (Quabri de L'Isle) perdeu um ponto pela manhã e quatro na pista da tarde. Marlon Zanotelli (Rock'n Roll Semilly) e Felipe Amaral (Carthoes BZ) perderam oito pontos cada na soma dos dois circuitos.

O resultado é especialmente frustrante porque o Brasil ia ao pódio de forma consecutiva desde a edição de 1991 dos Jogos Pan-Americanos. Em 1987, o País não enviou representantes, de forma que a última vez que competiu e não ganhou medalhas foi em 1983.

No individual, o Brasil ainda tem boas chances de pódio. Afinal, Eduardo Menezes lidera após três pistas, com um ponto perdido. Pedro Veniss tem cinco, empatado em nono, enquanto Marlon Zanotelli, melhor do País no Mundial, decepciona no 23º lugar. Eles voltam a competir no sábado, com mais dois circuitos. Eduardo disputa uma virtual quarta vaga na equipe olímpica, considerando que Doda, Rodrigo Pessoa e Marlon são os demais titulares do time.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanoshipismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.