Equipe de triatlo do Pan compete no Canadá

Carla Moreno, Mariana Ohata, Sandra Soldan, Leandro Macedo, Paulo Miyasiro e Virgílio de Castilho. Esta é a equipe brasileira de triatlo que disputará os Jogos Pan-Americanos de São Domingos, na República Dominicana ? todos, exceto Virgílio, são patrocinados pelo Grupo Pão de Açúcar. Desde a inclusão do esporte no calendário do Pan, o triatlo do Brasil já conquistou duas medalhas. Leandro foi campeão na edição de estréia, em 1995, em Mar del Plata. Carla Moreno levou prata em Winnipeg, em 99. Os triatletas viajam quarta-feira para o Canadá, onde disputarão as etapas de Edmonton e Corner Brook da Copa do Mundo (Paulo e Leandro não competirão em Corner Brook; viajarão para a Flórida, para treinamento e aclimatação). Buscam pontos no ranking mundial para obter vaga na Olimpíada de Atenas. Pelo menos três atletas no feminino e três no masculino, os melhores do País, devem ir a Atenas. O campeão em Santo Domingo estará automaticamente garantido nos Jogos de 2004. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva, os triatletas revelaram preocupação com o clima quente (mais de 35º C) e úmido (superior a 80%) da capital da República Dominicana. Mariana, por exemplo, deve sair de Brasília, onde o clima é seco, para treinar em Santos, depois da viagem ao Canadá. ?O clima será um adversário, mas, treino por treino, todos estarão preparados. Quero contar com a sorte?, declarou a caçula do grupo, que em Winnipeg teve problemas com uma sapatilha nova (terminou em sexto). Na Olimpíada de Sydney, em 2000, sofreu acidente no trecho de bicicleta ? já havia escapado de três. ?Este ano, voltei do zero (cumpriu suspensão por antidoping positivo para estimulante). Todas as linhas de chegada significam vitórias pessoais.? Virgílio e Paulo disputarão o Pan pela primeira vez. ?Estou de olho na vaga para a Olimpíada. Qualquer um de nós tem condições de ganhar o ouro no Pan?, afirmou Paulo, descendente de japoneses e portugueses, natural de Santos, de 27 anos, 1,77 metro e 68 quilos. Paulo começou a treinar como profissional em 99 ? pratica o esporte desde 95. Formou-se em Direito porque queria ser delegado. Seu ponto forte é a natação, um diferencial entre os triatletas. Aos 17 anos, nadava 1.500 metros. Em 2002, foi vice-campeão no Pré-Olímpico da Guatemala, competição que o credenciou para o Pan, e campeão no de Brasília. No início do ano, praticamente não figurava no ranking. Terminou 2002 em 62º. Já chegou a 32º e, atualmente, é o 49º.

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.