Equipe definida para o Mundial chinês

Troféu Maria Lenk ratifica os 20 nadadores, entre homens e mulheres, que vão representar o Brasil em Xangai, em julho

Leonardo Maia, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2011 | 00h00

Depois de sete dias de muita disputa e esforço, encerrou-se ontem o Troféu Maria Lenk, competição que definiu os últimos nomes para a seleção brasileira de natação que disputará o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, em Xangai, na segunda quinzena de julho.

Seis atletas conseguiram índices para o campeonato, na última oportunidade que tinham: Michelle Lenhardt, Bruno Fratus, Thiago Pereira, Felipe França, Felipe Lima e Kaio Márcio. Outros já chegaram ao torneio nacional classificados. O time brasileiro será formado por 20 nadadores: além dos citados, Fabíola Molina, Daynara de Paula, Tatiana Lemos, Flavia Delaroli, Carolina Mussi são as mulheres. César Cielo, Henrique Barbosa, Nicholas Santos, Leonardo de Deus, Henrique Rodrigues, Nicolas Oliveira, André Schultz, Guilherme Guido e Rodrigo Castro formam o time masculino.

As maiores decepções ficaram com Joanna Maranhão e Gabriela Silva, que não obtiveram as marcas necessárias. O Mundial chinês é a última chance para o revezamento brasileiro, feminino e masculino, obter classificação para os Jogos Olímpicos.

O Minas Tênis foi o campeão do 51.º Campeonato Brasileiro, interrompendo um jejum de 14 anos sem conquistar o troféu e encerrando uma série de oito conquistas seguidas do Pinheiros. "A natação ainda pode esperar muito do Minas porque nosso projeto é de longo prazo. Estamos pensando nos Jogos de 2016", disse o presidente do clube, Sergio Bruno Zech Coelho.

O clube mineiro, aliás, não deu chance aos adversários, ao somar 2775 pontos. O Pinheiros ficou com a prata, com 1934. Em terceiro chegou o Flamengo, com 1697,50, seguido de perto pelo Corinthians (1544).

Entre os destaques individuais, Thiago Pereira, do Corinthians, homem de múltiplos estilos, dominou as provas de medley e conquistou quatro ouros. Com cinco ouros e uma prata ficou César Cielo, do Flamengo. Felipe França, do Pinheiros, foi ouro nos 50 m e 100 m peito, e a veterana Fabíola Molina levou três medalhas douradas para o Minas, do alto de seus 35 anos. Bruno Fratus, do Pinheiros, também brilhou ao desbancar Cielo nos 100 m livre.

"Foi muito bom. Foi um grande desafio, sabendo que eu estava me sentindo um pouco inferior aos demais. Levar cinco ouros e uma prata foi muito bom", analisou Cielo, que chegou para a disputa do Maria Lenk sem a preparação ideal.

"Estou muito satisfeita. Nadei sempre abaixo dos índices. Agora é focar no Mundial", comemorou Fabíola Molina, que também disputará os Jogos Mundiais Militares, no início de julho, no Rio.

Os estrangeiros também marcaram presença no Maria Lenk e somaram pontos importantes para suas equipes. Os grandes destaques foram o tunisiano e campeão olímpico Oussama Mellouli, atleta mais eficiente do torneio, com 298 pontos contabilizados para o Corinthians. Kirsty Coventry, do Zimbábue, ajudou o Minas com 345 pontos, e a americana Jessica Hardy rendeu 310 para o Flamengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.