Divulgação
Divulgação

Equipe indiana mantém Bruno Senna e contrata Heidfeld na Fórmula E

Nelsinho Piquet é o atual campeão da categoria

Estadão Conteúdo

10 de agosto de 2015 | 12h28

A Mahindra terá uma dupla de peso na temporada 2015/2016 da Fórmula E. Nesta segunda-feira, a equipe indiana anunciou que, além de ter assegurado a permanência do brasileiro Bruno Senna, também contratou o alemão Nick Heidfeld, com larga experiência na Fórmula 1.

Heidfeld participou do último campeonato da Fórmula E pela equipe Venturi, que contratou o canadense Jacques Villeneuve para a sua vaga. Já o alemão vai substituir o indiano Karun Chandhok na equipe do brasileiro Bruno Senna na categoria, disputada com carro movidos a energia elétrica.

"Eu estou muito animado para competir na Mahindra na segunda temporada da Fórmula E. As grandes ambições da Mahindra estão alinhadas com as lições aprendidas a partir de uma temporada e com as medidas tomadas para o segundo ano", disse Heidfeld. "O meu objetivo é ganhar e acredito que a nossa experiência combinada com a habilidade irá garantir a maximização das nossas chances", completou o alemão.

Entre 2000 e 2011, Heidfeld participou de 183 corridas na Fórmula 1, conquistando uma pole position e 11 pódios. Curiosamente, em 2011, o alemão foi substituído nas oito provas finais da temporada na Lotus exatamente por Bruno Senna, que agora será seu companheiro de equipe em outra categoria.

O brasileiro terminou a temporada 2014/2015 da Fórmula E em décimo lugar, com 40 pontos, tendo o quarto lugar na última prova, em Londres, como seu melhor resultado, sendo decisivo para a conquista do título pelo compatriota Nelsinho Piquet. Já Heidfeld foi o 12º colocado, com 31 pontos, indo ao pódio na etapa de Moscou, com a terceira posição.

A próxima temporada da Fórmula E está prevista para começar em 17 de junho, com a realização da etapa de Pequim, na China, em um circuito de rua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.