Equipe recua e abandona prova após morte de ciclista

Horas depois de confirmar a permanência no Giro da Itália, a equipe Leopard-Trek veio à público nesta terça-feira anunciar que está fora da disputa por causa da morte do ciclista belga Wouter Weylandt, na segunda.

AE, Agência Estado

10 de maio de 2011 | 18h43

"Nós simplesmente não conseguimos continuar na corrida, diante das circunstâncias. Somos atletas profissionais, mas sentimos que esta é a coisa certa a fazer neste momento", afirmou o capitão da equipe, Fabian Wegmann. Mais cedo, o gerente-geral da equipe, Brian Nygaard, havia anunciado que a Leopard-Trek permaneceria na corrida em respeito à família de Weylandt.

A decisão de abandonar a disputa foi anunciada ao fim da quarta etapa. Os companheiros de equipe de Weylandt percorreram o trajeto desta terça e cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar, de braços dados, em uma homenagem ao ciclista morto na segunda.

O resultado da etapa, que não contará pontos para a classificação final, foi acertado previamente entre os atletas. Todos os competidores correram juntos em um ritmo constante e cada equipe assumiu a liderança por dez quilômetros, com a Leopard-Trek cruzando a linha de chegada na frente. A prova foi precedida de um minuto de silêncio, com todos os ciclistas usando fitas pretas.

Revelada nesta terça, a autópsia do corpo confirmou que o atleta morreu ao não resistir aos ferimentos internos e no crânio, após se chocar com um muro e cair durante uma descida de cerca de 20 quilômetros no final da etapa em Rapallo, no norte da Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.