Aaron Favila/AP
Aaron Favila/AP

Equipe russa em estado de choque com um novo escândalo de doping

Caso nos Jogos de Inverno reacende o escândalo sobre o uso de substâncias proibidas

Reuters

19 de fevereiro de 2018 | 02h15

Um medalhista olímpico russo deixou os Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, por suspeita de doping, segundo um oficial da equipe na segunda-feira, 19, em um escândalo que chocou seus colegas de equipe e põe em risco os esforços da Rússia para recuperar o status olímpico completo.

Alexander Krushelnitsky, que compete no curling, um dos esportes que menos exigem fisicamente nos jogos, é suspeito de testar positivo para meldonium, uma substância proibida que aumenta o fluxo sanguíneo e melhora a capacidade de exercício.

Questionado sobre uma atualização do caso, o porta-voz da delegação russa Konstantin Vybornov disse à Reuters que o atleta tinha entregue suas credenciais para os Jogos e deixado a vila olímpica enquanto aguarda o resultado de uma segunda amostra ainda hoje. 

Ele mais tarde negou ter se referido a qualquer indivíduo pelo nome.

+++ Por 'doping de estado', COI bane Rússia dos Jogos de Inverno de 2018

Mas o treinador da equipe feminina de curling, Sergei Belanov, respondeu as perguntas dos repórteres sobre Krushelnitsky, descartando a ideia de que um "homem jovem e inteligente" usaria drogas em um esporte onde elas não produziriam "nenhum benefício".

"É estúpido, mas Alexander não é estúpido, então eu não acredito", disse Belanov.

Krushelnitsky ganhou o bronze com sua esposa Anastasia Bryzgalova em duplas mistas em Pyeongchang. Ele não respondeu a um pedido para comentar o caso.

+++ Rússia confirma que dois jogadores são investigados por doping pela Fifa

Suspeitas sobre uma violação de doping abalaram a equipe russa, que tem tentado andar na linha depois dos escândalos recentes e chocou o esporte do curling, onde as mãos firmes e os olhos afiados superam a aptidão física.

"Estávamos todos chocados quando descobrimos ontem. É claro esperamos muito que tenha sido algum tipo de erro", disse a atleta russa Viktoria Moiseeva aos repórteres, acrescentando que a equipe acreditava Krushelnitsky era inocente.

"Conosco, não é mais rápido, mais alto, mais forte, trata-se de ser mais preciso. Não consigo imaginar o tipo de drogas que você poderia usar

no curling ... então é muito difícil acreditar ". /Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.