Equipe vai seguir no Giro da Itália após morte de belga

Leopard-Trek diz que continuará na competição por respeito à família de Wouter Weylandt

AE-AP, Agência Estado

10 de maio de 2011 | 10h46

A equipe Leopard-Trek vai continuar a participar do Giro da Itália apesar da morte do ciclista Wouter Weylandt. O belga, de 26 anos, caiu na segunda-feira durante uma descida na terceira etapa da corrida e morreu no local apesar de a equipe médica ter tentado reanimá-lo por 40 minutos.

"Vamos continuar por respeito à família de Weylandt e também para compartilhar nossa tristeza com o mundo do ciclismo", disse Brian Nygaard, gerente-geral da equipe Leopard-Trek. "Os meninos foram totalmente derrotados. Se há alguém que não quer continuar, nós aceitamos isso".

A quarta etapa, neste terça-feira, tem um percurso de 216 quilômetros, entre as cidades de Genova Quarto dei Mille e Livorno, e foi precedida por um minuto de silêncio, com todos os ciclistas usando fitas pretas. Durante a etapa, todos os competidores vão correr juntos em um ritmo constante e cada equipe vai assumir a liderança por dez quilômetros, com a Leopard-Trek cruzando a linha de chegada em primeiro lugar.

Os organizadores disseram que a etapa não contará para a classificação final. "Vai ser um dia de luto do início ao fim", disse Angelo Zomegnan, diretor da prova. Weylandt sofreu o primeiro acidente fatal na corrida italiana em 25 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.