Erick Flores, de 19 anos, o novo Adílio da Gávea

Estilo do jovem faz torcedores ficarem saudosos

Sílvio Barsetti, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2009 | 00h00

Ainda não foi desta vez que o jovem Erk Flores, de 19 anos, realizou o sonho de marcar um gol pelo Flamengo. Mas o sósia de Adílio, craque na década de 80, não tem motivo para reclamar. Na vitória do Rubro-Negro sobre o Madureira por 4 a 2, ontem, no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, ele provocou uma certa nostalgia nos torcedores mais velhos. Dribles vistosos, arrancadas com estilo e o passe preciso para os dois primeiros gols do time, marcados por Josiel, autor também do terceiro. Erick Flores deu um show à parte. "Ele é importantíssimo pela criatividade, dá agilidade ao time, é dinâmico", elogiou o técnico Cuca, aliviado após a goleada, pois convive há semanas com a ameaça de demissão. Erick Flores não conseguiu atuar o tempo todo por causa de uma pancada sofrida no tornozelo. Saiu de campo aos 15 minutos do segundo tempo aplaudido de pé. "Fico muito feliz quando me comparam com o Adílio. Mas ele é incomparável", afirmou.Erick Flores está no Flamengo há dez anos e já foi treinado por Adílio nos juniores. Do grande craque rubro-negro dos anos 80, o jovem destaca um aprendizado - foi o "moleque atrevido" campeão mundial de clubes em 1981 que o ensinou a "marcar". "Eu me senti mais completo com as aulas do Adílio." Erick Flores reconhece que seu futebol é técnico e torce por mais oportunidades no Flamengo.Desde sua promoção para o time profissional, no ano passado, jamais conseguiu disputar na íntegra uma partida pelo time. Não teve sorte com Caio Júnior no comando da equipe, embora tenha iniciado outro jogo, contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro. "Tudo tem seu tempo", ponderou Cuca.Ontem, no estádio do América, quem se deliciava com a atuação de Erick Flores era outro gênio rubro-negro, Andrade, colega de turma de Adílio. "O Erick é um talento, vai deslanchar", previu."Ele é muito habilidoso e parte para dentro", comentou Josiel, que agora luta pela artilharia do Carioca, em agradecimento pelas assistências.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.