Erika e Iziane, amigas e rivais em busca da final

Ros Casares e Wisla Cracóvia, os times das brasileiras, disputam hoje a semifinal em [br]Valencia, na Espanha

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2010 | 00h00

Se há uma certeza na Euroliga Feminina de Basquete é a de que uma jogadora brasileira vai disputar o título no domingo - e o novo técnico da seleção, Carlos Colinas, irá observá-la de pertinho. Hoje, o espanhol Ros Casares, da pivô Erika, e o polonês Wisla Cracóvia, da ala Iziane, fazem uma das semifinais do torneio, que terá o quadrangular final em Valencia, na Espanha - o jogo começa às 15h45 (de Brasília), mas sem transmissão para o Brasil. O duelo das atletas, amigas e rivais, vai definir o adversário de Spartak Moscou x Ekaterimburgo.

Erika e Iziane atuaram juntas no Atlanta Dream, na última WNBA. Após o fim da temporada americana, rumaram para a Europa. A pivô voltou para o Ros Casares, pelo qual disputou a final da Euroliga em 2007 - perdeu para o Spartak. A ala fechou com o Wisla, que nem estava classificado para a Euroliga mas entrou na vaga do CSKA Moscou, que saiu do torneio por problemas financeiros.

Fator casa e fator surpresa. O time de Erika sai na frente porque vai jogar em casa - há expectativa de que o ginásio La Fonteta ocupe seus 9 mil lugares e bata o recorde da Euroliga. "O público vai nos ajudar e não temos que viajar, um grande diferencial na Europa", disse a pivô, por e-mail. "Só de pensar que Ekaterimburgo está a 4 horas de avião de Moscou, imagine o cansaço e o fuso horário." Já o time de Iziane entra como franco atirador - afinal, a equipe nem tinha sido formada para a disputa do torneio. "Conseguimos um grande mérito, pois o time não foi formado para o torneio. Superamos todas as expectativas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.