Attila Kisbendek/AFP
Attila Kisbendek/AFP

Érika Miranda vê bronze no Mundial como volta por cima após decepção no Rio-2016

Judoca brasileira conquista a sua medalha na categoria até 52kg

Estadao Conteudo

29 de agosto de 2017 | 15h34

Bronze no Mundial de Judô, que está sendo realizado em Budapeste, Érika Miranda declarou nesta terça-feira, após conquistar a sua medalha na categoria até 52kg, que o resultado foi especial. A brasileira destacou que o feito representa uma volta por cima após a decepção enfrentada nos Jogos Olímpicos do Rio, no ano passado, quando perdeu a chance de ir ao pódio ao perder a luta pelo bronze.

"Eu estou muito feliz, apesar de ter sido um bronze. Eu tive um desgosto exatamente um ano atrás nos Jogos Olímpicos do Rio e me desacreditei bastante. Esse bronze é especial, estou muito feliz", comemorou a meio-leve brasileira.

Na sua campanha nesta terça-feira em Budapeste, Érika Miranda passou por duas judocas do Kosovo na repescagem: Distria Krasniqi e Majlinda Kelmendi, a atual campeã mundial, na luta que lhe rendeu o bronze. E ela revelou que treinou com ambas na reta final de preparação para o Mundial.

"Na minha preparação para o Mundial eu participei de um treinamento de campo internacional na Eslovênia, onde pude treinar com muitas atletas fortes da minha categoria e as duas, Krasniqi e Kelmendi, estavam lá, treinamos juntos. Foi fundamental para este Mundial, onde precisei passar exatamente por elas nas lutas finais", disse.

Kelmendi havia sido a algoz de Érika Miranda na disputa pelo ouro no Mundial de 2013. A brasileira destacou, porém, que havia superado a kosovar no último combate entre elas, no Grand Slam de Abu Dabi, e apontou que costuma ter mais dificuldades com as judocas japonesas, caso de Natsumi Tsunoda, que a superou nas quartas de final e foi vice-campeã mundial nesta terça.

"O meu jogo bate melhor com atletas com o estilo de luta dela, mais físico, mais força. Eu tenho mais dificuldade com atletas habilidosas como as japonesas. Então, acho que por isso eu entrei bastante confiante, mesmo sabendo que ia enfrentar a atual campeã olímpica. Agora eu vou descansar um pouco, aproveitar mais essa conquista e pensar um passo de cada vez", disse a brasileira.

JAPÃO 100% - Após o término do segundo dia de disputas do Mundial de Judô, o Japão segue com 100% de aproveitamento. Após Funa Tonaki (até 48kg) e Naohisa Takato (até 60kg) serem campeões na última segunda-feira, Ai Shishime (até 52kg) e Hifumi Abe (até 66kg) faturaram medalhas de ouro nesta terça.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    JudôÉrika Miranda

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.