Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Érika reclama de individualismo na derrota para a França

Pivô criticou a atuação da seleção brasileira, que começou bem, mas relaxou e perdeu no fim por 73 a 58 na estreia

O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2012 | 18h19

LONDRES - A seleção brasileira feminina de basquete deu a impressão de que teria uma estreia tranquila na Olimpíada de Londres neste sábado. Chegou a abrir sete pontos de vantagem para a França, mas sofreu um "apagão" no segundo tempo e perdeu das europeias por 15 pontos de diferença: 73 a 58.

"Não perdemos para a França, perdemos para nós mesmas. Nós deixamos de acreditar em nós mesmas", lamentou à TV Record a pivô Érika, maior pontuadora brasileira na estreia, com 17 pontos. "A gente falhou muito na defesa, e dependemos dela para usar o contra-ataque, que é o ponto forte que a gente tem", emendou Adrianinha.

Érika foi além e reclamou de excesso de individualismo da equipe. "Cada uma tentou jogar por si mesmo e assim não dá. O basquete é coletivo, todo mundo tem que pensar em ajudar."

Os números comprovam a falta de inspiração da equipe do técnico Luis Cláudio Tarallo na estreia. O aproveitamento em cestas de dois pontos ficou em apenas 34%, e o de três pontos, 27%. As francesas, por exemplo, tiveram 50% nos dois índices.

O Brasil volta à quadra na segunda-feira, contra a Rússia, medalhista de bronze nas duas últimas olimpíadas, e precisando da vitória para seguir com chances razoáveis de classificação para a segunda fase. "Temos condição de jogar de igual para igual. Ainda é só o começo, tem muita coisa pela frente", finalizou Érika.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.