Paul White/Reuters
Paul White/Reuters

Erro impede antidoping de campeão da Volta da Espanha

Ciclista ñorte-americano passou noite posterior conquista em hotel diferente da equipe

AE-AP, Agência Estado

16 de setembro de 2013 | 13h37

MADRI - Um mal-entendido impediu nesta segunda-feira que o norte-americano Christopher Horner realizasse um exame antidoping, apenas um dia após conquistar o título da Volta da Espanha. Isso aconteceu porque o ciclista não estava no hotel da equipe, pois passou a noite em outro, com a sua esposa.

A Agência Antidoping Espanhola disse que recebeu um pedido das autoridades antidoping dos Estados Unidos para que fizesse um exame no norte-americano, que causou sensação ao vencer uma das mais tradicionais provas do ciclismo aos 41 anos.

A equipe RadioShack-Leopard, pela qual Horner competiu na Volta da Espanha, disse que havia comunicado a Agência Antidoping dos Estados Unidos da mudança de hotel e que, portanto, não cometeu nenhuma infração. A RadioShack-Leopard, inclusive, apresentou uma cópia do e-mail no qual a agência norte-americana confirmava ter recebido a informação sobre a troca de hotel.

Horner, de 41 anos, se tornou no domingo o atleta mais velho a vencer uma prova do chamado Grand Tour, que reúne as três mais tradicionais provas do ciclismo mundial - Volta da França, Volta da Espanha e Giro D''Itália. O recorde anterior era do belga Firmin Lambot, que venceu a Volta da França pela segunda vez na sua carreira aos 36 anos, em 1922.

Até o último domingo, o melhor resultado de Horner em uma dessas três provas havia sido o nono lugar na Volta da França de 2010. Agora, porém, ele alcançou o maior feito da sua carreira quase aos 42 anos, que completará no mês de outubro, mas vê um mal-entendido impedir a realização de um exame antidoping no dia seguinte ao da conquista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.