Escândalo põe sob suspeita

Denúncia leva CBF a trocar juiz de Goiás x São Paulo

, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

O ato final do Campeonato Brasileiro mais equilibrado da era dos pontos corridos sofreu um duro golpe ontem, véspera da rodada decisiva. No começo da tarde, a CBF anunciou a troca do árbitro para o jogo entre Goiás e São Paulo, no Estádio Bezerrão. Saiu Wagner Tardelli e em seu lugar foi sorteado o baiano Jailson Macedo de Freitas (que hoje apitaria Conceição de Coité x Itajibá, pelo campeonato intermunicipal baiano). A mudança, segundo a entidade que controla o futebol no País, ocorreu depois de terem chegado denúncias de que poderia haver manipulação de resultado na partida no Gama. Tardelli foi chamado por Sérgio Corrêa, diretor da Comissão Nacional de Arbitragem, para encontro em hotel do Rio, ontem. Ambos conversaram com Ricardo Teixeira, presidente da CBF, e com o assessor de imprensa Rodrigo Paiva. O dirigente disse que era necessária a troca para evitar especulações. "O teor da denúncia e quem a fez serão revelados na segunda-feira", explicou Paiva. Em nota oficial, a CBF isentou Tardelli de responsabilidade. "O presidente da CBF reitera a mais absoluta confiança no seu trabalho, acrescentando para tanto que a determinação de um novo sorteio tem o objetivo de preservar o próprio árbitro e garantir ainda a transparência e o mérito do resultado em campo do jogo." O São Paulo reagiu em seguida e, também em nota oficial, se manifestou sobre o caso. O clube paulista mostrou-se surpreso com a decisão e preocupado com a nota da CBF, com uma ressalva. "Com as informações até agora disponíveis, muito lacônicas, seria precipitado e leviano levantar suspeitas contra A, B ou C. Mas é certo que o clima de instabilidade gerado à véspera da partida decisiva pode interessar a muitos, nunca ao São Paulo, grande prejudicado. O clube exige o urgente esclarecimento e a apuração rigorosa e cabal dos fatos, bem como a punição dos eventuais responsáveis", diz o documento.O clube informou que já havia reclamado da escalação de Tardelli para o jogo no Gama e que a CBF teria respondido que ficasse tranqüilo. A reclamação seria em função da arbitragem contra o Náutico, no Recife - derrota por 2 a 1. O superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, estranhou o fato ter ocorrido na véspera da rodada decisiva. "Me espanta acontecer hoje (ontem). Esperamos que a CBF explique isso para não levantar a suspeita em cima de nenhum clube."O Grêmio, interessado direto na partida do São Paulo, também recebeu com indignação a notícia. O presidente Paulo Odone pediu uma investigação completa e aproveitou para colocar o campeonato todo sob suspeita. "É preciso uma investigação profunda de todo o campeonato", disse. "O Grêmio foi prejudicado inúmeras vezes. A competição está sob suspeita. Não é só esse jogo. É o campeonato todo. E os outros jogos, como ficam?" O procurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, admitiu a gravidade do caso. "Trata-se de um caso muito grave e a fonte precisa ser identificada. Só poderemos abrir inquérito para apurar a denúncia assim que recebermos notificação oficial da CBF", disse. "Foi muito em cima da hora. Que loucura!" JOGOS DE TARDELLITardelli apitou 17 partidas na Série A este ano. Do São Paulo, esteve presente na vitória por 1 a 0 sobre o Náutico, no Morumbi, na derrota para o time pernambucano, no Recife, por 2 a 1 e no empate por 1 a 1 com o Coritiba, no Morumbi. Do Grêmio, apitou a vitória sobre o Sport, no Olímpico, por 1 a 0, o empate por 1 a 1 com o Náutico, no Recife, e o empate por 1 a 1 com o Palmeiras, também em Porto Alegre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.